Pavilhão Santos e Castro acolhe os sem-abrigo de Lisboa

O Pavilhão Santos e Castro, recinto do Atlético CP, desde que foi decretado o estado de emergência, abriu as portas para receber os sem-abrigo da capital que procurem um local onde ficar. Ali pernoitam, recebendo ainda refeições disponibilizadas pela Câmara Municipal de Lisboa.

De momento, são 60 os indivíduos que ocupam a casa das modalidades do clube de Alcântara. “A Câmara Municipal de Lisboa tinha pessoas albergadas no pavilhão do Casal Vistoso, mas a lotação já estava lotada e então vieram para aqui para a Tapadinha. Dormem e recebem refeições no pavilhão e acabam por passar o dia aqui no nosso complexo”, explica o presidente do clube, Ricardo Delgado, alegando ainda: “Fizemos o que tínhamos de fazer.”

O Atlético chegou mesmo a disponibilizar-se para receber infetados que não necessitassem de internamento hospitalar, mas que não pudessem recuperar em casa. Tal não chegou a ser necessário.

O acolhimento dos sem-abrigo no Santos e Castro está a ser feito por articulação da vereação da Proteção Civil com a dos Direitos Sociais.

O emblema da Tapadinha, recorde-se, disputava, à data do cancelamento dos campeonatos, a 1ª Divisão do Campeonato Distrital da AF Lisboa. Embora tendo estado bem encaminhados para a subida, os “carroceiros” vêem-se agora obrigados a permanecer por mais um ano nos distritais, uma vez que as subidas ao Campeonato de Portugal foram impedidas pela Federação Portuguesa de Futebol, embora a decisão ainda venha a ser ratificada na próxima reunião da direção.

 

Imagem: Atlético Clube de Portugal

Duarte Rosa

"Alfacinha" de gema, sportinguista de coração. Desde o clube à seleção nacional, o amor pela bola está presente desde cedo. A licenciar-se em Ciências da Comunicação, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, esta paixão pela escrita e pelo futebol forma uma dupla interessante, que espera vir a agradar aos seus leitores.