Presidente do Marítimo critica o “plano maquiavélico” para o regresso da 1.ª Liga

Carlos Pereira saúda o regresso da 1.ª Liga, mas aponta o dedo ao plano delineado para este fim. O presidente do Marítimo alega uma diferença de tratamento entre o futebol e outros espetáculos desportivos e culturais.

A  1.ª Liga volta no fim de semana de 30 e 31 de maio, para serem disputadas as últimas dez jornadas. Nos estádios só poderão estar 300 espetadores, uma restrição que Carlos Pereira não entende:

“Saudar o regresso da Liga, mas porque o senhor primeiro-ministro (António Costa) disse ontem [quinta-feira] que nós voltaríamos quase à normalidade em junho. (…) Porque é que só o futebol vai ser tratado como se fosse uma anormalidade? Não consigo perceber. Penso que o primeiro-ministro foi induzido em erro. Sem a II Liga, ainda aumenta mais a concentração de pessoas, que não vão estar nos estádios, em bares, restaurantes e casas particulares. Se estamos a desagravar de um lado, estamos a agravar do outro.”

Carlos Pereira juntou-se aos críticos da reunião que impulsionou o regresso da 1.ª Liga, que teve a presença dos presidentes do FC Porto, Benfica e Sporting – apenas três dos dezoito clubes que constituem a competição – o Primeiro-Ministro, António Costa, o Presidente da FPF, Fernando Gomes, e Pedro Proença, Presidente da Liga.

“Não mandatámos nenhum daqueles senhores para negociar um plano com o senhor primeiro-ministro. Mandatámos para falar com o primeiro-ministro sobre outras coisas e, sobretudo, para saber se havia ou não condições para podermos começar a tomar decisões. Acho que é uma traição aos clubes por aqueles cinco que lá foram em relação ao plano maquiavélico que estava a ser preparado, não sei por quem, mas são todos cúmplices”, afirmou o presidente do Marítimo.

David Silva

Contar a minha história é falar de futebol. Primeiro, a paixão. Depois, a prática. Em seguida, uma deslocação de 71km entre a Lourinhã e a NOVA/FCSH, onde concluí o curso de Ciências da Comunicação, em 2019. Pelo meio, nove meses de estágio memoráveis no Canal 11, na Cidade do Futebol. E por fim, a paixão. Sempre.