Quem que te viu e que te vê: Moretto, muita promessa, pouco contributo

Se existe uma posição no terreno de jogo que sofre mais com a pressão do que qualquer outra é a de guarda- redes. Qualquer guardião sabe que a responsabilidade que carrega é tão ou mais superior que a de um avançado, já que é o último obstáculo capaz de impedir o golo da equipa adversária.

Por Portugal já passaram jogadores de classe mundial como Oblak, Ederson, Vítor Baía, entre outros.  Contudo, os palcos portugueses também já presenciaram profissionais da modalidade que muito prometiam, apenas para sair sem glória ou fama de renome.

O artigo desta semana do “Quem te viu e quem te vê” aborda um dos guarda-redes em que os adeptos benfiquistas mais depositaram as suas esperanças, considerado como o sucessor direto de Quim na baliza do clube da capital.

Marcelo Moretto de Souza, mais conhecido apenas por Moretto, nasceu em Eldorado, no Brasil, a 10 de maio de 1978, tendo começado a sua carreira profissional a representar clubes como o São José de Ribamar, Portuguesa, Londrina, Sport, Brasiliense e 15 de Novembro.

Depois de quatro épocas no seu país natal, Moretto ingressou no futebol português em 2003, aos 25 anos de idade, assinando contrato com o Felgueiras da segunda divisão portuguesa, isto depois do Salgueiros, o seu primeiro clube, ter sido despromovido à terceira divisão devido a problemas financeiros.

Em 2005, o guarda-redes brasileiro chega finalmente à primeira divisão, representando o Vitória de Setúbal. Ao serviço dos “sadinos”, Moretto ganhou o seu primeiro grande troféu da carreira, ao derrotar o Benfica na final da Taça de Portugal. Curiosamente, no mercado de inverno da temporada 2005-2006, viria a ser contratado pelo clube que derrotou para conquistar o maior  troféu de todo o seu palmarés profissional.

Chegado ao Benfica pelo valor de um milhão de euros, o brasileiro inicialmente aproveitou as lesões de Quim e de Moreira para agarrar a titularidade no onze comandado por Ronald Koeman, chegando mesmo a defender um penálti de Ronaldinho Gaúcho, em jogo a contar para a Liga dos Campeões.

No entanto, com a saída do técnico holandês e a entrada de Fernando Santos para o cargo de treinador dos “encarnados”, o guardião rapidamente desceu na hierarquia da equipa. Durante a sua estadia no clube, Moretto realizou apenas 33 jogos no total, desde a sua chegada, até 2009, tendo sido ainda emprestado ao AEK Atenas na época 2007-08.

Em 2009, o jogador é dispensado pelo Benfica, dando, assim, início à fase mais instável da sua carreira, passando por clubes como Avaí, Olhanense e Miami Dade.

Aos 41 anos de idade, o gurada-redes que conquistou uma Taça de Portugal e uma Taça da Liga na sua passagem pelo campeonato nacional é o proprietário  da empresa Moretto World Soccer, agenciando diversos futebolistas profissionais. Apesar de tudo, não deixa de ser curioso que uma carreira que começou em 1998 tenha apenas 156 jogos oficiais realizados, principalmente para um jogador que teve a oportunidade de enfrentar o Liverpool e o Barcelona nos grandes palcos europeus.

 

Fonte da Imagem: Notícias ao Minuto