Mais de 1000 jogos e cinco Ligas dos Campeões, eis Paolo Maldini

Quem acompanhou o futebol nos últimos 25-30 anos, de certo conhece este nome: Paolo Maldini.

Esta lenda, conquistou tudo o que havia para conquistar. Cinco Ligas dos Campeões, Serie A por sete vezes, uma taça de Itália, cinco supertaças italianas, cinco supertaças europeias, duas taças internacionais (última edição em 2004) e um campeonato do mundo.

O seu sucesso já vem de família com Cesare Maldini, seu pai falecido em 2016, que jogou quase toda a carreira no AC Milan (12 épocas no total entre 1954 e 1966 com uma época no Torino pelo meio). Já Paolo Maldini jogou mesmo toda a carreira nos “Rossoneri” até à sua retirada, na época 2008/2009.

O talento foi evidenciado logo desde jovem e estreou-se na época 1984-1985 com apenas 16 anos. Na altura, entrou para substituir o lesionado Sergio Battistini contra a Udinese. Nesta época, foi a sua única partida oficial na equipa principal, mas na época seguinte acabou por ser titularíssimo a lateral direito com a camisola nº3, o mesmo nº do seu pai. Foram 40 jogos oficiais nessa época, jogando por vezes a lateral esquerdo também, devido à sua valência com o pé esquerdo. Contudo, o seu primeiro golo chegou apenas na época seguinte, a 4 de janeiro de 1987, na vitória por 1-0 contra o Como.

Na época seguinte, o Milan tinha uma equipa recheada de estrelas, também conhecida como os “The Immortals” (Os Imortais) que levou ao primeiro título da carreira do Paolo. Para ter noção, a equipa tinha nomes como Frank Rijkaard, Gullit, Marco Van Basten, Ancelotti ou Roberto Donadoni. Nessa época, o Milan sofreu “apenas” 14 golos.

Mais tarde, com o fim da carreira de Baresi, Maldini começou a fazer dupla defensiva com o também mítico Alessandro Nesta.

O sucesso do clube do seu coração continuou e Maldini era consequentemente titular, fazendo parte duma equipa que ficou apelidada como “Os Invencíveis” na época 1991-1992 onde, em 58 jogos para o campeonato, o Milan não perdeu. Este acabaria por ser o primeiro de três campeonatos consecutivos da era Fabio Capello no início dos anos 90.

Este sucesso levou-o a tornar-se o primeiro defesa a ganhar um prémio anual pela revista World Soccer.

O sucesso continuou quando na época 1997-1998 assumiu a braçadeira de capitão.

Maldini acaba por ganhar a última Liga dos Campeões em 2006-2007 diante do Liverpool.

Após a sua carreira como jogador, tornou-se director técnico do Milan, apesar de ser Co-Propriatário do Miami FC.

Maldini disse recentemente que se considera o “maior perdedor da história do futebol”:” Ganhei muitíssimo… cinco Ligas dos Campeões, por exemplo, mas também perdi três finais da Champions, mais uma Supertaça Europeia, três Taças Intercontinentais, uma final de um Mundial, mais um campeonato da Europa. Depois, também caí numa meia-final num outro Mundial… e podia continuar”,  completou o lendário jogador, claramente a exagerar e a brincar.

Por fim, Paolo, vai continuar a ver o legado da sua família a continuar, pois o seu filho Daniel Maldini, estreou-se já esta época, conforme notíciado aqui.

João Estanislau

Actualmente a frequentar uma Pós-Graduação em Marketing e Gestão do Desporto no INDEG-ISCTE, sou licenciado pelo Instituto Superior de Comunicação Empresarial em precisamente Comunicação Empresarial. Escrever sobre desporto sempre foi uma realidade para mim, nas minhas redes sociais e que pretendo agora partilhar contigo. Fica atento!