Famalicão apenas com um caso positivo para Covid-19

O Famalicão anunciou que dos sete casos positivos anteriormente oficializados apenas um se mantém ativo. Recordamos que destes sete, quatro casos positivos eram de jogadores do plantel.

Apesar de apenas um caso estar ativo, na próxima semana serão feitos novos testes a toda a estrutura do clube para o rastreio de Covid-19.  Os casos anunciados na semana passada continuam a ser devidamente vigiados e isolados.

Além disso, é também possível ler no comunicado que o Famalicão, em concordância com as normas da DGS, estará disponível para não jogar no seu estádio o resto das jornadas do campeonato.

 

Eis o comunicado:

“Na sequência do plano de retoma, o Futebol Clube de Famalicão – Futebol SAD realizou no passado fim-de-semana testes de rastreio da COVID-19 a todo o plantel, equipa técnica e restante staff, através da pesquisa de SARS-CoV-2 com zaragatoa nasofaríngea.

Deste rastreio, foram obtidos 7 resultados positivos, 4 deles de atletas do plantel principal.

Já esta terça-feira, foram realizados novos testes de pesquisa de SARS-CoV-2 mediante o mesmo método, para nova análise dos casos positivos.Dos novos resultados obtidos, apenas um caso se mantém positivo. Informamos também que, dos 7 casos inicialmente positivos, 6 apresentavam carga viral muito baixa, com deteção da sequência de um único gene dos três que são habitualmente pesquisados para identificação do vírus.

Os atletas, elementos do staff e seus familiares encontram-se neste momento como sempre se encontraram, assintomáticos e clinicamente bem.

O Departamento Médico mantém, naturalmente, um acompanhamento e monitorização diários, com todo o apoio necessário a ser assegurado em permanência pela estrutura do Clube.

Ainda em linha com o plano de retoma, todo o plantel, equipa técnica e restante staff será submetido a novo teste de rastreio na próxima sexta-feira, que incluirá pesquisa de SARS-CoV-2 com zaragatoa nasofaríngea e também testes serológicos ou de imunidade.

Em respeito pelo parecer técnico da Direção-Geral da Saúde, nomeadamente no seu ponto 13 – as competições devem ser realizadas no menor número possível de estádios – vimos informar que nos disponibilizamos, em nome do bem coletivo e sacrificando o interesse individual, a abdicar de jogar no nosso estádio.

Este é o momento de estarmos unidos e empenhados por igual em que a Primeira Liga seja reatada e possa chegar ao fim, mas tal deverá ocorrer cumprindo escrupulosamente todas as condições exigidas, em defesa da competição, dos clubes e dos seus profissionais.

Como clube estamos sempre comprometidos com a transparência e garantimos que este continuará a ser o nosso caminho.

Por fim, deixamos uma mensagem de confiança no futuro e votos sinceros de que, não só os nossos sócios e adeptos, como todos os que gostam de futebol em Portugal se encontrem bem de saúde e possam superar esta adversidade que a todos afeta.”

João Marques

Nasci nos Açores, mais propriamente na Ilha Terceira. Actualmente estou a estudar Ciências da Comunicação na NOVA FCSH. O desporto nasceu comigo e a paixão pelas letras já vem desde tenra idade.