Villas-Boas quererá ficar no Marselha e já terá recusado proposta milionária do Newcastle

Têm sido tempos agitados aqueles vividos em Marselha nos últimos dias, com muita insegurança relativamente à continuidade (ou não) do técnico português André Villas-Boas no comando da equipa francesa.

A decisão do presidente do clube francês, Jacques-Henri Eyraud, em avançar para a demissão do diretor desportivo, Andoni Zubizarreta não terá agradado em nada ao técnico luso, devido à boa relação existente entre os dois e isso terá levado mesmo Villas-Boas a recusar uma primeira proposta de renovação da parte do Marselha. 

Contudo, segundo avança esta quinta-feira o prestigiado jornal francês L’Équipe, o treinador acredita ter mesmo assim condições para conduzir o clube na próxima temporada e terá assim descartado um pedido formal de rescisão de contrato.

Além disso, avança a mesma fonte, Villas-Boas terá mesmo recusado uma proposta bastante vantajosa ao nível económico do novo milionário da Premier League, o Newcastle – está prestes a ser comprado por um polémico consórcio saudita -, rejeitando assim a possibilidade de suceder a Steve Bruce no comando técnico dos magpies.

A proposta do clube inglês contemplaria um ordenado bastante superior ao que o treinador luso aufere atualmente na liderança dos phocéens, bem como um provável orçamento de transferências para reforçar a equipa bastante aliciante.

Contudo, Villas-Boas terá mesmo rejeitado esta oferta choruda, depois de recentemente ter afirmado que um regresso à Premier League não fazia parte dos seus planos para um futuro próximo. Recorde-se que o técnico do Marselha comandou o Chelsea e o Tottenham entre 2011 e 2012, depois de ter liderado o FC Porto.

Em 2019/20, sendo já oficial o cancelamento da Ligue 1, Villas-Boas liderou o Marselha a um 2º lugar, confirmando o regresso do clube à Liga dos Campeões, após um total de 16 vitórias, oito empates e quatro derrotas no principal escalão francês.

Apesar de toda a incerteza que paira atualmente no seio do Marselha, a verdade é que o clube francês tem já definidos os planos para a pré-temporada 2020/21. O regresso aos trabalhos está marcado para 15 ou 27 de junho, dependendo do arranque da Ligue 1 a 7 ou 22 de agosto.

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.