Históricos: Arsenal, a época dos invencíveis

Quando se discute quais as melhores equipas de sempre que ganharam a prestigiada Premier League, imediatamente pensa-se no Manchester United da época 2007/08, no Chelsea de José Mourinho e Ricardo Carvalho ou, mais recentemente, no Manchester City de Pep Guardiola e Bernardo Silva.

Contudo, nenhuma destas equipas conseguiu terminar a competição como campeões invencíveis. Esse rótulo pertence a um dos plantéis mais icónicos da história, não só do futebol inglês, mas, também, do futebol europeu.

O Arsenal da época 2003/04  alcançou um feito monumental, aproveitando o núcleo da equipa proveniente das temporadas anteriores e sem proceder a grandes custos orçamentais em transferências, resultante da construção do Emirates Stadium, atual casa do clube londrino. As principais movimentações foram as contratações de Jens Lehmann e de José Antonio Reyes, para além das renovações do capitão Patrick Vieira e de Robert Pirès, peças fundamentais para a conquista do campeonato.

Após terminar a primeira volta da liga no segundo lugar, atrás de Manchester United e ameaçado pela ascensão do Chelsea, a equipa de Arséne Wenger realizou uma segundo volta de sonho.

A rivalidade com os “red devils”, das mais conhecidas do principal campeonato de clubes do mundo, é dos momentos mais impactantes de todo o percurso realizado, principalmente, o jogo em Old Trafford, ainda na primeira volta , em que Patrick Vieira foi expulso por desacatos com Van Nistelrooy  e em que seis jogadores do Arsenal e dois do United foram suspensos pela federação inglesa.

Apesar da eliminação frente ao Chelsea nos quartos de final da Liga dos Campeões e da derrota frente ao rival de Manchester nas meias-finais da Taça de Inglaterra, os “gunners” mantiveram uma elevada consistência na Premier League, apresentando  um estilo de jogo envolvente e agressivo, caracterizado pela segurança defensiva e pelos seus contra-ataques dinâmicos  e letais.

Graças ao contributo de  jogadores como Lehmann, Ashley Cole, Sol Campbell, Vieira, Pirès, Bergkamp e Thierry Henry, o Arsenal tornou-se numa equipa genial e feroz, capaz de ganhar qualquer jogo, ao mesmo tempo que conseguia encantar os amantes do desporto.

Com 26 vitórias e 12 empates, os orientados de Arséne Wenger terminaram o campeonato com 90 pontos, mais onze que o Chelsea, alcançando a marca de melhor ataque ( 73 golos) e melhor defesa do campeonato ( 26 golos sofridos).

Esta conquista consagrou Thierry Henry como um dos maiores jogadores da era da Premier League, marcando 30 golos em 37 jogos (melhor registo da liga). A sua parceria com Bergkamp, outra lenda do futebol, é considerada uma das mais perfeitas na história recente do desporto, com ambos a tornarem-se as principais figuras do clube da capital inglesa.

 

 

O auge da carreira do astro francês foi um importante fator na conquista do troféu de campeão, conquista essa que ocorreu frente aos maiores rivais, o Tottenham, em pleno White Hart Lane, o que tornou tudo ainda mais especial para os adeptos do colosso inglês.

Os invencíveis de Wenger estão, assim, incluídos num grupo restrito de equipas que ganharam os seus campeonatos sem derrotas , composto por Milan (1991/1992), Juventus (2011/2012),  Ajax (1994/1995),  Benfica (1972/1973) e Porto (2010/2011 e 2012/2013).

Fonte da Imagem: A Bola