Leandro Antunes, um goleador nato em busca do sonho da Seleção

Bilhete de Identidade:

Nome: Leandro Miguel Curto Antunes

Data de nascimento: 28-07-1997 (22 anos)

Naturalidade: Rio Maior

Peso: 75 kg

Altura: 1,83 m 

Posição: Ponta de lança

 

Com apenas 22 anos, foi um dos maiores destaques do Campeonato de Portugal em 2019/20, brilhando ao serviço do Atlético Clube Marinhense, da Série C. Em 2019/20, Leandro Antunes totalizou 16 golos em 30 jogos, incluindo quatro na Taça de Portugal, onde este clube da Marinha Grande apenas caiu aos pés do primodivisionário Rio Ave.

Depois de ter estado emprestado pelo Vilafranquense, da Segunda Liga, ao Marinhense, ambiciona agora mostrar todo o seu talento em palcos maiores e, um dia, chegar ao principal do escalão português.

Conta com passagens por vários históricos do futebol nacional, incluindo o Benfica, União de Leiria, Sporting de Braga e Belenenses e, agora, tem o sonho de chegar à Seleção A portuguesa. Fique a conhecer melhor Leandro Antunes, o goleador de Rio Maior, nesta Entrevista AMBIDESTRO.

 

AMBIDESTRO: Como surgiu o futebol na tua vida? Frequentaste alguma escola de formação?

Leandro: Comecei a jogar futebol aos quatro anos em Rio Maior. Depois estive quatro anos em Lisboa, dois anos no Benfica e dois anos no Belenenses. Depois voltei a Rio Maior até aos juvenis e fiz o meu primeiro ano de Júnior no União de Leiria e o último ano de Formação no Braga.

AMBIDESTRO: Fizeste grande parte da tua formação no NS Rio Maior, de onde és natural. Que memórias guardas desses tempos?

Leandro: Todos os anos foram muito bons mas destaco o último ano de juvenil em que fomos campeões distritais.

AMBIDESTRO: Sempre foi na frente do ataque que te sentiste mais confortável? Experimentaste outras posições?

Leandro: Sim, sempre me senti confortável em qualquer uma das posições da frente, pelo que fiz a minha carreira toda aí.

AMBIDESTRO: Na época 2013/14 mudaste-te para Leiria, quando tinhas ainda 16 anos, para representar o histórico União de Leiria. Como surgiu essa oportunidade?

Leandro: Após termos tido o título de campeão distrital no Rio Maior. Consegui fazer uma boa época e com isso consegui ter mais visibilidade.

AMBIDESTRO: Estiveste em destaque na tua segunda época em Leiria, totalizando 13 golos em 26 jogos. Sentes que foi aí que te deste a conhecer realmente ao mundo do futebol?

Leandro: Sim, porque foi o meu primeiro ano nos campeonatos nacionais.

AMBIDESTRO: O que levou à mudança para o Sporting de Braga? Sentes que foi um passo em frente na tua carreira?

Leandro: Surgiu o convite do Sporting de Braga e sendo considerado um dos melhores clubes nacionais, não hesitei. Pelas razões anteriores, sim, sinto foi importante para a minha carreira.

AMBIDESTRO: Como foi o teu último ano ao nível da formação, ao serviço do Sporting de Braga?

Leandro: Foi um ano positivo, em que aprendi muito.

AMBIDESTRO: Em 2016/17, com apenas 18 anos, fizeste a tua estreia profissional ao serviço do Sporting de Braga B, que até alcançou o 7º lugar da Segunda Liga, totalizando 26 jogos e seis golos marcados. Como analisas o teu primeiro ano de sénior?

Leandro: Foi um excelente ano, joguei com jogadores mais experientes e tínhamos um grande balneário, aprendi muito com o Mister Abel Ferreira também.

AMBIDESTRO: O teu primeiro golo surgiu logo à 3ª jornada, numa partida frente ao União da Madeira. Qual a sensação desta estreia a marcar como sénior?

Leandro: Tenho algumas memórias desse momento, foi uma sensação incrível, mas lembro-me que só tive tempo de ir buscar a bola ao fundo da baliza porque estávamos a perder 1-0.

AMBIDESTRO: Quais consideraste ser as principais diferenças entre jogar o campeonato nacional de juniores e a Segunda Liga, entre o futebol de formação e o futebol sénior?

Leandro: Existe muita diferença, principalmente a intensidade e a experiência dos jogadores.  No campeonato nacional de Juniores defrontamos adversários da mesma idade, enquanto na Segunda Liga defrontamos jogadores de todas as idades.

AMBIDESTRO: Estiveste quatro anos em Braga, passaste pelos juniores, equipa B e sub-23. Sentes um amargo por não ter chegado à equipa principal?

Leandro: É óbvio que o objetivo de qualquer jogador que jogue no SC Braga é chegar à equipa principal, mas mesmo assim deu para aprender muito ao longo desses quatro anos.

AMBIDESTRO: No verão passado mudaste-te para Vila Franca de Xira, para os recém-promovidos à Segunda Liga, Vilafranquense. Como surgiu essa hipótese?

Leandro: Naquela altura pareceu-me o melhor para mim.

AMBIDESTRO: Apesar de tudo, a mudança para Vila Franca de Xira foi rápida e foste emprestado ainda antes do início da época ao Marinhense, do Campeonato de Portugal. Sentes que foi a escolha certa na tua carreira? Foi um passo atrás ou a possibilidade de dar dois passos em frente?

Leandro: Sim exatamente isso, foi uma decisão acertada da qual não me arrependo. Fui à procura de voltar a ganhar ritmo e intensidade que tinha perdido nos últimos anos.

AMBIDESTRO: Como correu a adaptação ao Marinhense?

Leandro: Muito bem, acolheram-me muito bem os meus colegas, a equipa técnica e a direção.

AMBIDESTRO: Na tua primeira época na Marinha Grande tiveste a época mais goleadora da tua ainda jovem carreira enquanto sénior, com 16 golos em 30 jogos. Como foi este ano?

Leandro: Foi um ano muito positivo, é daqueles anos que eu não queria que acabasse, mas a pandemia infelizmente assim o ditou.

AMBIDESTRO: No meio de tantos golos, conseguiste ainda marcar na Prova rainha portuguesa, a Taça de Portugal, por três vezes. Foram uma das equipas sensações da prova, alcançando os oitavos-de-final e só caindo aos pés do primodivisionário Rio Ave. Qual foi a sensação de todo este sucesso para um clube do Campeonato de Portugal e para um jovem jogador como tu?

Leandro: Foi o primeiro ano que participei na Taça de Portugal, gostei muito. É uma competição muito especial.
Penso que o facto de termos um grande grupo ajudou a que tal feito acontecesse, caímos de pé frente ao Rio Ave.

AMBIDESTRO: O teu (grande) golo frente ao Águeda foi mesmo considerado um dos melhores do ano no Campeonato de Portugal. Como te sentes por este reconhecimento?

Leandro: Sinto-me muito bem. Fiquei muito feliz com este golo. Para mim, é muito satisfatório rematar fora de área.

AMBIDESTRO: Sentes que o maior destaque dado esta época ao Campeonato de Portugal, nomeadamente ao nível das transmissões televisivas, juntamente com as tuas grandes exibições, te deram maior visibilidade para o futuro?

Leandro: Sim acho que foi muito importante para todo o Campeonato de Portugal. Existem jogadores com muita qualidade neste campeonato e foi muito bom para todos.

AMBIDESTRO: Qual a principal diferença entre a Segunda Liga e o Campeonato de Portugal?

Leandro: A intensidade dos jogos e a preparação dos jogadores.

AMBIDESTRO: Agora que o Campeonato de Portugal foi cancelado devido à pandemia de covid-19, como te tens mantido ativo? Tens aproveitado para dar importância à tua vida pessoal?

Leandro: Continuo a treinar, não da mesma forma mas a nível individual. Sempre tentei conciliar da melhor forma a minha vida pessoal com a minha vida profissional. Mas claro que agora consigo ter mais tempo para outras coisas.

AMBIDESTRO: Já sabes o que te espera na próxima temporada? Uma oportunidade em Vila Franca ou novas paragens?

Leandro: Sou jogador do Vilafranquense, neste momento não há nada mais que possa dizer.

AMBIDESTRO: Quais os teus objetivos no futuro?

Leandro: Jogar na Primeira Liga é um dos meus principais objetivos.

AMBIDESTRO: Como te defines enquanto jogador?

Leandro: Defino-me como um jogador inteligente e com boa capacidade de finalização.

 

AMBIDESTRO: Apesar de tenra idade, contas já com passagens por grandes clubes portugueses, como o Benfica, Belenenses, União de Leiria ou Sporting de Braga. Qual foi para ti a melhor experiência enquanto atleta?

Leandro: O meu primeiro ano de sénior no Braga B e este último ano no Marinhense.

AMBIDESTRO: Qual foi o teu melhor momento da carreira?

Leandro: Quando fui chamado à Seleção Nacional sub-20.

AMBIDESTRO: Representar a Seleção Nacional é ainda um sonho?

Leandro: Claro que sim, nunca escondi essa vontade. É um sonho de criança e o meu maior sonho no futebol.

AMBIDESTRO: Que pessoa te marcou mais até agora no futebol? Porquê?

Leandro: Não consigo escolher uma pessoa, é muito difícil mas digo Eduardo Teixeira e Abel Ferreira pela importância que tiveram no meu crescimento enquanto atleta e enquanto pessoa.

AMBIDESTRO: Quem era o Leandro Antunes sem o futebol na vida ?

Leandro: A mesma pessoa (risos).

 

Fora das quatro linhas:

Prato favorito – Arroz de pato
Música preferida – Depende do momento
Filme favorito – Condenados de Shawshank
O que fazes nos tempos livres – Jogar PlayStation, ler, estar com família e amigos e cozinhar
Jogador que mais admiras – Cristiano Ronaldo
Treinador que mais te marcou –Eduardo Teixeira / Abel Ferreira
Melhor jogador de sempre – Cristiano Ronaldo

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.