Lembra-se de…Nélson, o lateral que atingiu o pico de águia ao peito

O SL Benfica introduziu ao futebol português diversos jogadores que evoluíram de forma tão significante que acabaram por se transferirem para alguns dos maiores clubes do mundo, nas principais ligas europeias.

Um grande exemplo deste processo de formação é Nélson Semedo, cuja evolução que alcançou enquanto jogador dos “encarnados” proporcionou-lhe uma mudança para o FC Barcelona, onde atualmente joga ao lado de estrelas como Messi e Suárez.

O que muitos adeptos se esquecem é que houve um outro Nélson que atuou como lateral no Estádio da Luz, cuja qualidade também lhe permitiu uma transferência para o campeonato espanhol.

Nélson Augusto Tomar Marcos, nascido em 1986, em Cabo Verde, começou a sua carreira profissional em Portugal pelo Vilanovense FC, clube que representou entre 2000 e 2003, participando em 35 jogos oficiais. Depois de uma passagem pelo SC Salgueiros na época 2003-04 (30 jogos oficiais) e pelo Boavista na temporada 2004-05 (25 jogos oficiais), o lateral que tanto podia jogar à direita como à esquerda atingiu o auge da sua carreira após assinar contrato com o clube da capital.

Como jogador do Benfica, Nélson realizou 107 partidas entre 2005 e 2008, tornando-se um jogadores mais acarinhados pelos adeptos benfiquistas nos meados dos anos 2000.

As suas exibições consistentes fizeram com que fosse transferido para o Real Bétis, onde disputou 87 partidas pelo clube de Sevilha, sem esquecer o período de empréstimo pelo qual passou ao serviço do Osasuna na época 2010-11.

Contudo, as suas breves passagens por Palermo (2012-13) e Almería (2013-14) foram o início da sua espiral descendente no desporto-rei. Nélson ainda regressaria ao futebol português, representando o Belenenses em 34 partidas oficiais na época 2013-14, contudo, o resto da sua carreira prosseguiu em campeonatos menos competitivos, como a Segunda Divisão Espanhola, onde jogou 62 vezes pelo AD Alcorón, ou o campeonato do Chipre, jogando pelo AEK Larnaca em 32 ocasiões.

Em 2018, Nélson retirou-se das competições oficiais, terminando assim uma carreira que, apesar de não contar com muitos títulos (um troféu da Segunda Divisão Espanhola, na época 2010-11, e uma Taça do Chipre), foi marcada por uma grande longevidade, deixando saudades, principalmente, nos estádios portugueses.

 

Fonte da imagem: slbenfica.pt