Famalicão, a equipa sensação do campeonato, surpreende dragão na retoma da Liga

O FC Porto sabia que tinha que ganhar este jogo para continuar a depender apenas de si próprio para o campeonato mais atípico que há memória, devido ao Covid-19. No entanto, o golo marcado por Corona (74) foi incapaz de levar a vitória para casa uma vez que Fábio Martins (48) e Pedro Gonçalves (78) sentenciaram a vitória para os famalicenses.

A equipa de Famalicão fez alinhar um 11 já com várias rotinas com Defendi, Ivo Pinto, Nehuén Pérez, Roderick, Alex Centelles (Walterson 80), Pedro Gonçalves, Racic, Rúben Lameiras (Patrick William 62), Diogo Gonçalves, Toni Martinez e Fábio Martins (Gonçalo Rodrigues 75).

Já o Porto alinhou com Marchesín na baliza. Defesa com Corona, Mbemba, Pepe e Manafá. O meio campo com Danilo (Zé Luís 73), Sérgio Oliveira, Otávio e Luís Díaz e o ataque  com Marega e Soares (Aboubakar 82).

O FC Porto parecia muito bem nesta visita a Famalicão e entrou pressionante. Aos quatro minutos, já o defesa-central Nehuén Pérez levava o primeiro amarelo do jogo e começava a surgir a supremacia do Porto.

Aos 11 minutos, Marega isolado conseguiu um remate, mas Defendi conseguiu impedir o golo ao maliano.

O jogo continuava e havia uma insistência do Porto, quer em cruzamentos, quer em remates de fora de área, quer em lances de bola parada a tentar o golo, mas sem grandes oportunidades. A 1ª parte terminou com o FC Porto com mais posse de bola e mais remates, mas longe de fazer um jogo brilhante. Espaço ainda para realçar o amarelo ao minuto 39 para Toni Martinez e para Otávio já nos descontos.

O intervalo fez bem ao Famalicão. Por outro lado, quem pareceu que ainda estava a descansar foi o guarda-redes portista, Marchesín, que num lance onde teve culpa própria, faz um passe para Mbemba que ficou curto e Fábio Martins aproveitou para, ao minuto 48, fazer o 1-0.

Desde então, o FC Porto entrou em desespero e quem desesperou demais foi o treinador-adjunto de Sérgio Conceição que acabaria por ser expulso ao minuto 59, derivado a protestos.

Ao minuto 63, novo amarelo para a equipa da casa, desta vez, para o lateral espanhol emprestado pelo Valência Alex Centelles.

No meio de vários remates e cantos, o clube azul e branco chegaria mesmo ao empate por Corona, ao minuto 74 a passe de Sérgio Oliveira. Grande passe do português a descobrir a entrada na área do mexicano que teve tempo para ajeitar a bola e colocá-la no fundo das redes.

Não tardaria muito a insistência do clube visitante, pois, apesar de tudo fazer prever o 1-2 para o Porto, Pedro Gonçalves iria sentenciar o jogo ao minuto 78 e acabaria por ser o homem do jogo.

Desde o golo, o FC Porto perdeu ânimo e não criou mais nenhum lance de verdadeiro perigo.

O jogo acabaria por ter cinco minutos de compensação e já no tempo adicional, existe ainda um lance que os portistas reclamaram penalti, na área do Famalicão por alegado toque em Marega.

O jogo termina com quase 60% de posse de bola para a equipa que é – ainda – líder do campeonato e com 17 remates (mais 10 que o Famalicão) sendo que seis foram enquadrados com a baliza. Já no lado do Famalicão, extrema eficácia, pois, dos sete remates realizados apenas dois foram à baliza e ambos resultaram em golo.

O FC Porto soma assim 60 pontos ao fim de 25 jornadas do campeonato e a sua terceira derrota na liga, ficando à espera do Benfica que soma 59 pontos em 24 jornadas e recebe amanhã o Tondela

 

Fonte da Imagem: LUX24

João Estanislau

Actualmente a frequentar uma Pós-Graduação em Marketing e Gestão do Desporto no INDEG-ISCTE, sou licenciado pelo Instituto Superior de Comunicação Empresarial em precisamente Comunicação Empresarial. Escrever sobre desporto sempre foi uma realidade para mim, nas minhas redes sociais e que pretendo agora partilhar contigo. Fica atento!