Ligações entre Benfica e Desportivo das Aves sob suspeita

As relações entre o Benfica e o Desportivo das Aves sempre foram boas ao longo dos últimos anos, mas, este sábado, as mesmas surgem sob suspeitas.

O diário Público denuncia este sábado a existência de “acordos de dependência” entre os dois clubes primodivisionários, que se terão intensificado desde que a empresa de capitais chineses Galaxy Believers comprou 90% da SAD – que tem Luiz Andrade na presidência e o antigo presidente da Liga, Luís Duque, como conselheiro – dos avenses.

A mesma fonte avança a existência de uma “conta corrente oficiosa” entre os dois clubes, tendo o Desportivo das Aves chegado mesmo a dever dois milhões de euros em direitos económicos de passes de jogadores. Esta conta corrente as duas SAD estará ainda ativa, contando agora com um saldo desfavorável para o clube da Vila das Aves de 786,5 mil euros.

De acordo com a investigação deste generalista, desde a temporada 2017/18, aquando da subida do Aves à Primeira Liga, que as águias cederam “sem encargos, alguns jogadores ao plantel dos avenses, com adendas leoninas e sigilosas nos contratos, que os assemelham a empréstimos encapotados, contornando desta forma os regulamentos“. Estes contratos assinados entre as duas partes beneficiariam assim os campeões nacionais.

Perante o confronto daquele diário sobre esta situação, a Benfica SAD respondeu que “tem contas correntes com todas as SAD com quem tem relações comerciais, assim como contas correntes com os seus fornecedores e clientes“. A SAD encarnada referiu ainda que todos os contratos celebrados com qualquer outra SAD ou empresa “estão sujeitos a regras de confidencialidade, como é normal em qualquer ramo de atividade“.

 

Jogador vendido antes de ser comprado

A mesma investigação realizada pelo jornal Público revela ainda que o Desportivo das Aves terá vendido a totalidade do passe de Hamdou Elhouni ao Esperance Tunis quando tinha apenas 30% dos direitos económicos do atleta – os restantes 70% pertenciam aos encarnados.

 

Fonte da Imagem: Maisfutebol – IOL

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.