Águias deixam dois pontos (e uma vantagem de dois golos) em Portimão

O Portimonense recebeu o Benfica no encontro relativo à 26ª jornada da Liga NOS, pelas 19h15, numa partida arbitrada por Carlos Xistra.

Os encarnados alinharam com: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Jardel, Grimaldo, Pizzi, Weigl, Taarabt, Cervi, Rafa e Vinícius.

Os algarvios apostaram em: Gonda, Hackman, William Rocha, Lucas Possignolo, Henrique, Dener, Pedro Sá, Tabata, Lucas Fernandes, Júnior Tavares e  Vaz Tê.

Na jornada passada, a equipa de Paulo Sérgio tinha recebido e vencido o Gil Vicente por 1-0, conquistando três pontos valiosos na corrida pela manutenção, enquanto que a equipa de Bruno Lage empatou em casa a zero diante do Tondela, igualando em pontos o FC Porto, mas fracassando a liderança isolada.

Os encarnados entraram na partida de forma dominante, com controlo da posse de bola e do fluxo de jogo, bloqueando facilmente qualquer iniciativa ofensiva do Portimonense. O primeiro golo chegou, ao minuto 18, por remate acertado de Pizzi após cruzamento de Rafa.

Ao minuto 24, Jardel sai lesionado da partida, entrando o jovem central Ferro para o lugar do capitão brasileiro.

O Benfica manteve a sua superioridade, com eficácia, aumentando a vantagem no marcador ao minuto 31, devido a um erro de Lucas Possignolo, sendo desta vez Pizzi o assistente para finalização certeira de André Almeida.

Seguia assim o clube da Luz em vantagem por 0-2, ao intervalo.

O filme da partida virou por completo no segundo tempo, com o Benfica a perder o controlo da partida rapidamente e mostrar-se cada vez mais passivo em campo.

As alterações do conjunto algarvio fizeram efeito, criando mais perigo a cada minuto que passava, beneficiando da complacência adversária na busca de uma reviravolta.

Tal aconteceu por uma bola parada, Dener cabeceou certeiramente após cruzamento de Bruno Tabata, reduzindo-se assim a desvantagem ao minuto 66.

O Benfica perdeu também Grimaldo devido a uma lesão, entrando para o lugar do lateral espanhol o jovem Nuno Tavares.

Cada vez mais descoordenados e competentes na partida, o controlo emocional dos encarnados estava claramente fragilizado. Por outro lado, o Portimonense “alimentava-se” disso mesmo, não baixando o ritmo que vinha crescendo desde o início do segundo tempo.

Materializou-se a vontade da equipa da casa, com o golo do empate a chegar no minuto 76, grande golo de Júnior Tavares, que rematou de fora da área, assistido por Emmanuel Hackman.

O Benfica procurou reagir à perda da vantagem nos minutos finais, com a entrada de mais pontas de lança, bolas bombeadas para a área opositora e um futebol muito mais fragmentado e caótico. Como tem sido o caso nas últimas jornadas, não funcionou. Ambas as equipas partilharam os pontos após 99 minutos de jogo.

O Benfica regista assim apenas uma vitória nos seus últimos 10 jogos, tornando-se líder à condição com um ponto de vantagem sobre o Porto, que joga no mesmo dia às 21h30 diante do Marítimo. O Portimonense conquista mais um ponto na luta pela manutenção ficando assim a cinco pontos da linha de água, onde reside o Paços de Ferreira, que tem uma partida a menos.

José Horta

Não nasci a gostar de futebol, mas quando comecei nunca mais quis outra coisa. Algarvio de nascença mas adepto do futebol para além daquele que se joga na praia. Sempre atento aos contornos e novidades do "Desporto Rei", "Beautiful Game" ou lhe quiserem chamar. Aluno universitário de Ciências da Comunicação na FCSH.