Leões arrancam vitória a ferros contra castores com golo monumental de Jovane

O penúltimo jogo da 26ª jornada opunha Sporting a Paços de Ferreira.

Algumas surpresas nos 11 iniciais:

Sporting:

L.Maximiano, Edu Quaresma, Coates, Borja, Rafael Camacho, Matheus Nunes, Wendel, Acuña, Jovane, Vietto e Sporar.

Paços de Ferreira: 

Ricardo Ribeiro, Jorge Silva, Marcelo, Maracás, Reabciuk, Diaby, João Amaral, Pedrinho, Vasco Rocha, Murilo e Tanque.

O jogo começou com o Sporting a dominar e em três minutos, dois cantos. Muitos ataques feitos pelo lado esquerdo, por Acuña nos primeiros cinco minutos. Aliás, todos os ataques nos minutos iniciais foram por aí.

Já o clube pacense começou por fazer muita pressão aos dois jogadores do centro do meio-campo leonino. O jogo foi muito disputado no meio-campo, com maior pendor para o Sporting, mas sem perigo nos primeiros 20-25 minutos.

O clube da casa tentou sempre sair organizado, enquanto o Paços apostou no contra-ataque ou em ataques rápidos a partir das alas, mais no lado esquerdo, mas Eduardo Quaresma, Camacho e também Matheus Nunes fecharam bem esse corredor.

Aos 31 minutos, João Amaral conseguiu um bom cruzamento e Murilo solto, desperdiçou uma grande oportunidade de fazer o 0-1.

Aos 37 minutos, Vietto faz um passe a rasgar para Sporar e o avançado, isolado, não conseguiu concretizar a melhor oportunidade da 1ª parte.

Ao minuto 42, Vietto lesionou-se no ombro direito e Plata foi o jogador escolhido por Rúben Amorim, para o substituir.

Já nos descontos, o Paços de Ferreira consegue um livre, no qual João Amaral atira à baliza, mas Maximiano seguro a defender.

O jogo foi para intervalo com as duas equipas a encaixarem bem uma na outra e, apesar do Sporting ter mais pose de bola, não conseguiu muitas jogadas de perigo.

Ao intervalo, saída de Murilo para a entrada de Hélder Ferreira.

Logo no início da 2ª parte, Jovane Cabral conseguiu um grande drible, já na grande área e um passe para Sporar, que não conseguiu cabeçear para a baliza dos “castores”.

A resposta do Paços deu-se com um canto que podia ter resultado em golo após um mau alívio dos “leões”. Surgiu um remate da equipa pacense que foi ao peito de Coates e após o mesmo deu-se um lance de contra-ataque rápido por Matheus Nunes.

O primeiro amarelo do jogo, ao minuto 57, foi para Matheus Nunes por uma falta no meio-campo.

O Paços de Ferreira começou a fechar-se bem e a dar a iniciativa ao Sporting que não conseguia encontrar espaços. Uma jogada individual de Wendel permitiu romper esses espaços e conseguir um livre, de frente para a baliza e um amarelo para Diaby. De livre, Jovane Cabral, marca um grande golo, o 2º da época do internacional cabo-verdiano.

Após o golo, houve dupla substituição no clube de Paços de Ferreira, com a saída de Luíz Carlos para entrada de Vasco Rocha e entrada de Eustáquio para saída de Diaby.

Era a resposta e o Paços de Ferreira fez uma jogada rápida que acaba em penalti por alegada falta de Borja sobre João Amaral. O árbitro Rui Costa marcou penalti, mas o VAR recomendou a análise do lance. Após a verificação, o árbitro mudou a decisão. O treinador do Paços de Ferreira, Pêpa, perguntou “o que é isso?” ao árbitro.

Aos 72 minutos, saiu Acuña para a estreia de Nuno Mendes e Eduardo para o lugar de Matheus Nunes.

Luiz Carlos levou amarelo, após uns encontrões aos jogadores sportinguistas, pois queria cobrar rápido uma falta que tinha sido assinalada.

Os protestos, no banco, da equipa visitante foram constantes desde que o árbitro reverteu a sua decisão de penalti e por isso, Pêpa, levou cartão amarelo.

Ao minuto 82, saída de Wendel e entrada de Francisco Geraldes. Aos 85 minutos, Eustáquio faz um cruzamento que bem podia ser um remate. Maximiano teve que se aplicar para defender.

O banco do Paços de Ferreira não se calava em protestos e Carlos Carneiro levou vermelho direto.

O Paços pressionou nos minutos finais do encontro, quando foram conhecidos os sete minutos de compensação.

No último minuto, Jovane Cabral fez uma grande jogada passando por dois jogadores e fez um grande remate, à trave.

Findado o encontro, os leões garantiram os três pontos suados com um grande golo de Jovane Cabral, de livre, colocando assim pressão sobre o Sporting de Braga, que joga este sábado frente ao Boavista.

João Estanislau

Com uma licenciatura em Comunicação Empresarial pelo ISCEM e duas pós-graduações em Gestão e Marketing do Desporto pelo INDEG-ISCTE e Director Técnico Desportivo pela a Universidade Europeia, trabalhei recentemente para o jornal online Leonino.pt. Participo ainda no programa Overlappings e Basculações, no canal de Youtube Vamos Falar de Futebol 10, todas as terças-feiras, a partir das 21h00. Sempre ligado ao futebol e à comunicação, pretendo partilhar contigo a minha visão do desporto rei. Fica atento!