Rui Moreira admite candidatura à presidência do FC Porto no futuro

Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, concedeu uma entrevista à Antena 1 onde admitiu a possibilidade de se candidatar à presidência do FC Porto no futuro.

Apesar de não descartar essa possibilidade, Rui Moreira admitiu não se tratar de uma ambição desmedida, mas sim de algo que poderá acontecer consoante o que venha a passar-se: “São daquelas coisas que, há um tempo em que queremos ser o Cubillas – que era o meu jogador de eleição quando era miúdo -, depois a gente pensa que quer ser o Mourinho ou o Pedroto e não vai ser, e depois há uma altura em que pensamos desempenhar um cargo no clube. São coisas normais e não quer dizer que venhas a fazer“, afirmou.

Gostaria de ser imensas coisas que não fui. Não é uma obsessão, mas é algo que não renego“, acrescentou Rui Moreira, admitindo assim que essa não é uma carta fora do baralho.

Rui Moreira relembrou o seu amor ao clube da Cidade Invicta, sendo conhecida a sua dúvida sobre o que fará na vida após findar a sua função enquanto presidente da Câmara Municipal do Porto: “Toda a gente sabe que sou portista desde pequenino. Gosto do FC Porto desde que o FC Porto não ganhava nada. Gostei mais do FC Porto quando ganhou“.

O presidente da Câmara do Porto abordou ainda as críticas da ex-eurodeputada Ana Gomes e do presidente do Benfica Luís Filipe Vieira sobre o seu acumular de cargos na câmara e no FC Porto – fez parte da lista de Pinto da Costa, que venceu as últimas eleições presidenciais – afirmando não ver qualquer tipo de incompatibilidade.

A função não é remunerada nem executiva. Promiscuidade é uma coisa que se esconde, e eu nunca escondi que gosto de futebol, do FC Porto e sou sócio do Boavista e do Estrela e Vigorosa“, concluiu o autarca,

 

Fonte da Imagem: Câmara Municipal do Porto

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.