Dragões despacham o Velho do Restelo e estão mais perto do caminho marítimo para o título

Os dragões venceram o Belenenses SAD por 5-0 este domingo, com golos de Tiquinho Soares, Marega, Alex Telles, Fábio Vieira e Luis Díaz, e estão agora a apenas duas vitórias de garantirem o título de campeões nacionais.

O FC Porto recebeu o Belenenses SAD em jogo a contar para a 30ª jornada da Liga NOS. Depois da vitória por 3-1 do Benfica frente ao Boavista, os dragões pretendiam agora voltar a colocar-se com seis pontos de vantagem dos seus rivais, por forma a ficarem-se um passo mais próximos de serem campeões.

Perante a importância deste encontro, Sérgio Conceição apenas fez uma alteração no onze inicial face à partida frente ao Paços de Ferreira, tirando Danilo Pereira e colocando Sérgio Oliveira no seu lugar. De resto, os azuis e brancos alinharam com Marchesín; Manafá, Pepe, Mbemba, Alex Telles; Mateus Uribe, Sérgio Oliveira, Otávio, Corona; Marega e Soares.

Do lado dos visitantes, Petit mexeu um pouco mais, fazendo entrar Edi Semedo, Calila, Koffi, Ricardo Ferreira, Pina, Danny Henriques e Keita. A formação do Restelo começou assim a partida com Koffi, Ruben Lima, Calila, Ricardo Ferreira, André Santos, Pina, Danny, Keita, Nuno Coelho, Marco Matias e Edi Semedo. Uma pequena curiosidade foi o facto do Belenenses apenas ter convocado um guarda-redes para este jogo em que procurava afastar-se da zona de despromoção – estava a apenas quatro pontos do Portimonense, que está em 17º lugar.

Cedo ficou claro qual seria o estilo de jogo escolhido por cada uma das formações. Enquanto que o FC Porto se assumiu paciente, tomando conta da posse de bola à espera de ocasiões de golo e de furos no esquema tático lisboeta, o Belenenses SAD tentava estar organizado atrás, defendendo com uma linha de cinco defesas e procurando contra-ataques rápidos para criar dificuldades aos dragões.

O primeiro sinal de perigo surgiu logo ao minuto 10, por intermédio de um remate de fora da área de Sérgio Oliveira, que acabou por sair à figura de Koffi. No entanto, o Belenenses não perdeu tempo e também a formação lisboeta ameaçou, e de que maneira, apenas dois minutos depois, com o cabeceamento de Edi Semedo a passar rente ao poste esquerdo da baliza portista.

Apesar de defender com uma linha de cinco defesas, a verdade é que a formação de Belém foi sempre tentando sair a jogar aquando das reposições de bola e foi circulando a bola com bastante assertividade na frente do ataque, criando algumas dificuldades aos da casa.

Sinal disso mesmo foi que ao minuto 18 o Belenenses SAD trabalhou muito bem a bola na ala direita, surgindo Pina a cruzar já dentro da área portista. Aí foi Nuno Coelho quem tentou o golo, mas a bola saiu bastante longe. Ficou o aviso.

Logo de seguida foi a vez de Manafá cruzar rasteiro para Marega, mas o avançado maliano encontrou pela frente um muro de seu nome Ricardo Ferreira, que fez um corte mesmo na hora H. A insistência portista continuou e ao minuto 26 foi a vez de Sérgio Oliveira, após uma boa jogada, rematar contra a defensiva forasteira.

Depois de alguns avisos, chegou mesmo o golo dos dragões. Após alguma insistência, ao minuto 30, a bola sobrou para Otávio no lado direito do ataque portista, o médio brasileiro cruzou com conta, peso e medida para o coração da área, onde surgiu Soares completamente sozinho a cabecear como as regras mandam, de cima para baixo. 1-0 no Dragão.

Os dragões estavam melhores na partida e nem cinco minutos foram necessários para os da casa fazerem aquele que se pensava ser o 2-0. Sérgio Oliveira encontrou Uribe à entrada da área e aí o médio colombiano tabelou com Marega. Já no coração da área o médio portista ganhou um ressalto a Nuno Coelho e na cara de Koffi não perdoou, fazendo o 2-0. Contudo, o lance seria analisado pelo VAR e analisado por mão na bola do médio portista aquando desse tal ressalto. Este seria mesmo o último lance de perigo da primeira parte.

Findados os primeiros 45 minutos, o domínio portista era notório, apesar dos visitantes se terem apresentados muito bem organizados defensivamente e assertivos no pouco tempo que tiveram de posse de bola. Prova disso foi que o único erro da defesa do Belenenses ditou o golo portista.

A segunda parte trouxe uma partida muito mais combativa e menos pensada, com a bola a ser muito dividida no meio-campo e com as oportunidades a surgirem em menor quantidade. No entanto, foram mesmo os azuis e brancos quem voltaram a marcar. Num lance de ataque rápido conduzido por Corona, o mexicano desmarcou Marega na cara do golo e no frente-a-frente com Koffi o avançado maliano não perdoou. Estava feito o 2-0.

Depois deste golo o jogo acalmou e só após a entrada de Fábio Vieira (já depois dos 60 minuto), a partida se voltou a mexer minimamente. O primeiro sinal de perigo surgiu através de um remate do próprio jovem médio português ao minuto 67 e seis minutos depois foi novamente Fábio Vieira quem desmarcou Luis Díaz para o extremo colombiano sofrer falta dentro da área.

O juiz da partida não teve quaisquer dúvidas quanto à marcação de uma grande penalidade e Alex Telles foi chamado a bater. O lateral brasileiro não perdoou, bola para um lado, Koffi para o outro e estava feito o 3-0 no Dragão, igualando assim Marega na lista de melhores marcadores do FC Porto esta época.

Esperava-se que após sofrer três golos o Belenenses desistisse por completo, mas ao minuto 77 Pina subiu ao segundo andar e cabeceou para acertar em cheio no poste direito de Marchesín.

Apesar deste assusto, o FC Porto não tirou o pé do acelerador e ao minuto 81 os dragões tiveram um livre direto mesmo à entrada da grande área. Alex Telles ia bater, mas disse para Fábio Vieira bater face ao resultado já vantajoso. A decisão não agradou a Sérgio Conceição, mas a verdade é que o médio português atirou para o fundo da baliza de Koffi, fez o 4-0 e o seu primeiro golo pela equipa principal dos dragões.

A partida entrou num ritmo mais monótono depois do golo de Fábio Vieira, mas não terminaria sem o FC Porto chegar ao quinto golo. Já aos 90+2, o Belenenses SAD teve direito a um canto do lado esquerdo. A defensiva portista cortou, sobrando a bola para Luis Díaz. O extremo colombiano arrancou e a bola só parou mesmo no fundo da baliza de Koffi, depois do jogador dos dragões ter disferido um grande e potente remate de fora da área.

Findado o encontro, os dragões despacharam a formação do Restelo por 5-0 num jogo onde o Belenenses SAD, a tempos, até chegou a assustar. Com esta vitória o FC Porto volta a ter seis pontos de vantagem do segundo classificado, o Benfica, e pode até sagrar-se campeão nacional já na próxima jornada caso vença o Tondela e as águias percam frente ao Famalicão. Em caso de vitória de ambas as equipas, caso os dragões vençam o Sporting na antepenúltima jornada do campeonato, sagrar-se-ão campeões nacionais.

 

Fonte da Imagem: Twitter FC Porto

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.