Leões empatam em Moreira de Cónegos e acendem luta pelo terceiro lugar

Após uma série de quatro triunfos consecutivos, os comandados de Rúben Amorim foram a Moreira de Cónegos empatar a zero com um tranquilo e seguro Moreirense, naquele que foi o jogo de encerramento da jornada 30 da Liga Portuguesa.

O encontro entre as duas equipas revelou-se bastante estratégico, sem que nenhuma das equipas conseguisse causar desequilíbrios significantes na defesa adversária. Ambos os lados não procuraram arriscar demasiado na procura do golo, pelo que foram limitadas as oportunidades de golo flagrantes.

No primeiro tempo, os jogadores de Moreirense e Sporting demonstraram uma atenção redobrada aos movimentos do adversário, com a equipa da casa a tentar tomar a iniciativa numa fase inicial da partida.

Os axadrezados de Moreira de Cónegos tentaram pressionar alto, procurando provocar o erro leonino em zonas que podiam ser de grande risco para a baliza de Maximiano.

Face a esta situação, o Sporting procurou libertar-se deste sufoco inicial através dos contra-ataques, explorando a velocidade de Plata e de Jovane para criar perigo junto da área adversária.

O equilíbrio entre as duas partes deixou pouco espaço para rasgos de criatividade, com as bolas paradas a ganharem maior destaque.

Depois de uma primeira parte com pouca intensidade em que os guarda-redes pouco ou nada tiveram que fazer, o segundo tempo começou praticamente com a expulsão de Halliche, com apenas seis minutos decorridos, obrigando o Moreirense a reorganizar-se por completo.

Os “leões” passaram a ter maior domínio do jogo, contariando a pressão que se tinha feito sentir até então. Contudo, os “cónegos” mantiveram um bloco defensivo compacto e organizado, impossibilitando a criação de lances de perigo.

Só perto do minuto 70 é que a equipa leonina obrigou Pasinato à primeira defesa complicada do jogo, sendo, assim, notória a previsibilidade das transições ofensivas de parte a parte.

Na parte final do jogo, Rúben Amorim fez aumentar a pressão sobre a defesa do Moreirense, que deixou de conseguir sair para o ataque.

Já muito perto do final, no período de descontos, houve ainda direito a que os visitantes pedissem uma grande penalidade por falta dentro da área sobre Coates. O árbitro nada assinalou, apesar de ter visto as imagens e dos muitos protestos do Sporting, ficando assim o marcador por inaugurar.

Este esforço final não resultou em nenhuma situação potencial de golo, pelo que o empate revela-se justo, com Coates a obter o prémio de melhor em campo.

A jogarem praticamente toda a segunda metade do jogo com mais um elemento em campo, os jogadores sportinguistas regressam a Lisboa ainda como a equipa que não perde há mais tempo no campeonato, mas agora com apenas três pontos de vantagem sobre o Sp. Braga, na luta pelo último lugar no pódio.

 

Fonte da imagem: twitter Sporting Clube de Portugal/@Sporting_CP