Jovane volta a marcar numa vitória por serviços mínimos

O Sporting recebeu e bateu o Santa Clara por uma bola a zero, tendo o único tento da partida sido apontado pelo extremo cabo-verdiano dos leões.

A visita do Santa Clara a Alvalade, a contar para 31ª jornada da Primeira Liga, teve início às 19:15. No último jogo, o Sporting havia empatado a zeros em Moreira de Cónegos e os açorianos foram derrotados por 1-0 pelo Marítimo na Cidade do Futebol. O juiz da partida foi António Nobre.

Relativamente ao onze inicial do encontro anterior, Rúben Amorim substituiu Luís Neto, Borja, Battaglia e Matheus Nunes por Eduardo Quaresma, Nuno Mendes, Wendel e Doumbia. Os restantes titulares foram Luís Maximiano na baliza, Acuña e Coates na defesa, Ristovski na ala direita e Jovane, Sporar e Plata no ataque.

Já João Henriques fez apenas duas alterações, retirando Francisco Ramos e Costinha e apostando em Zaidu e Lincoln. Os outros atletas foram Marco Rocha entre os postes, Rafael Ramos, João Afonso, Fábio Cardoso e Mamadu no quarteto defensivo, Osama Rashid e Anderson Carvalho no meio campo e Carlos Junior e Thiago Santana na frente de ataque.

O início de jogo foi muito lento e com os dois conjuntos a anularem-se mutuamente, tendo a bola sido disputada principalmente no meio campo.

A primeira aproximação às balizas surgiu apenas no minuto 14 sob a forma de um livre na extremidade da área para a equipa da casa. Na cobrança, Jovane bateu com muita força, dificultando a finalização de Sporar, que desviou por cima.

Nos 15 minutos que se seguiram, os leões criaram várias oportunidades: o avançado cabo-verdiano do Sporting tentou a finalização em arco a partir da esquina da área, mas passou ao lado; Plata rematou em excelente posição, porém o esférico desviou em Fábio Cardoso e saiu perto da baliza; Jovane cobrou um livre direto ligeiramente acima do alvo.

No minuto 31, o Santa Clara fez as redes abanar naquela que foi a sua primeiro boa jogada de ataque. Rafael Ramos cruzou pela direita e Thiago Santana finalizou em vólei. Contudo, o brasileiro estava em fora de jogo e o golo foi anulado.

Dez minutos depois, os verde e brancos quase inauguraram o marcador num lance caricato. Os centrais e o guarda redes dos insulares tiveram uma falha de comunicação relativamente a quem deveria limpar uma bola perdida e Marco, na tentativa de a aliviar, acabou por acertar em Sporar, tendo a mesma invertido a trajetória e passado um pouco ao lado da baliza.

A poucos segundos do fim da primeira metade, os açorianos criaram uma chance clamorosa. Lincoln centrou muito bem da esquerda e, quase dentro da pequena área, Thiago Santana falhou o desvio para as redes de Maximiano.

Na primeira parte assistiu-se a um começo de jogo muito frio e, embora tenha aquecido após o primeiro quarto de hora, o ritmo continuou sem ser o mais atrativo. Todavia, ainda se registaram oportunidades para os dois lados, a maior parte delas vindas da equipa da casa, que esteve por cima durante quase todo o jogo.

Tal como havia acontecido no primeiro tempo, também os instantes inaugurais destes 45 minutos ficaram marcados por bastante monotonia.

A primeira ocasião digna de destaque só apareceu ao minuto 65, novamente através de uma bola parada. Cruzamento de Rashid para o segundo poste, onde Zaidu apareceu e correspondeu com uma péssima finalização.

Dois minutos depois, o Sporting adiantou-se mesmo no marcador. Após anotar um bom apontamento individual, Wendel cruzou de forma notável para Jovane que, em esforço, conseguiu bater Marco. Mais um golo do jovem que leva agora cinco golos desde a retoma do campeonato.

À passagem do minuto 72, os leões voltaram a aproximar-se do tento. Num primeiro momento, Pedro Mendes teve tempo e espaço privilegiado para rematar, mas optou pelo passe e a bola acabou cortada pela defensiva açoriana para canto. Num segundo momento, na cobrança do lance que se seguiu, Jovane rematou a rasar a barra.

Esta acabou por ser a última oportunidade de perigo do jogo. Se a primeira parte havia sido algo lenta, a segunda foi ainda mais enfadonha. O Sporting teve sempre mais bola e esteve frequentemente instalado no meio campo adversário, enquanto que o Santa Clara apostou em lances de contra ataque. No entanto, nenhuma das estratégias foi bem conseguida, já que as chances de golo foram muito escassas.

Assim, apesar de não terem apresentado uma grande exibição, os leões conseguiram garantir os três pontos com justiça, já que foram superiores aos visitantes.

 

Fonte da Imagem: Twitter Liga Portugal

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.