Pizzi ameaça recorde de Bruno Fernandes de médio mais goleador da Europa

Na temporada passada, Bruno Fernandes fez história ao tornar-se o médio mais goleador da Europa, marcando 32 golos em 53 partidas, mas esta época Pizzi já vai ameaçando esse mesmo recorde do seu companheiro de seleção.

Depois de um grande início de temporada, cedo se começou a falar da possibilidade de Pizzi bater o recorde do antigo médio do Sporting, mas a sua veia goleadora acalmou ligeiramente sensivelmente a meio do ano. Contudo, desde o retomar das competições, o internacional português tem estado de pé quente e a ameaça voltou a pairar no ar.

O médio do Benfica marcou na vitória das águias por 3-1 frente ao Boavista e esta quinta-feira voltou a faturar no empate a uma bola frente ao Famalicão, totalizando assim 29 golos em 47 jogos de todas as competições – três na Champions, dois na Liga Europa, 17 na Liga, cinco na Taça de Portugal e dois na Supertaça. Além disso, leva já 12 assistências esta época.

Posto isto, faltam apenas quatro golos a Pizzi para bater o recorde estabelecido pelo seu compatriota na temporada transata, faltando, justamente, quatro partidas para terminar a época do Benfica – Vitória de Guimarães, Aves e Sporting, para a Liga, e FC Porto, para a final da Taça de Portugal.

Caso o internacional português fature, pelo menos, um total de quatro golos nessas quatro partidas, tornar-se-à o médio mais goleador da Europa, batendo assim o recorde do seu antigo rival e colega de Seleção que atua agora nos ingleses do Manchester United.

Isto depois de na época passada, Bruno Fernandes ter “roubado” esse mesmo recorde ao antigo internacional inglês do Chelsea, Frank Lampard, que em 2009/10 totalizou 27 golos em 51 jogos ao serviço dos londrinos.

 

Fonte da Imagem: Twitter SL Benfica

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.