Carlos Carvalhal foi alvo de agressão em tentativa de assalto. Técnico já reagiu

Carlos Carvalhal, treinador do Rio Ave, foi alvo de agressões por parte de encapuzados durante um assalto que decorreu durante a madrugada desta terça-feira, em Braga. O técnico ficou com vários ferimentos e já reagiu ao sucedido.

O técnico português, juntamente com o seu filho, José Carlos, foi abordado por três encapuçados à porta de sua casa, que pretendiam levar o seu dinheiro  e, após resistência da parte de Carlos Carvalhal, terão partido para a violência.

Carlos Carvalhal ficou com alguns ferimentos, como de resto o próprio confirmou nas suas redes sociais, mas terá excluído a hipótese de receber assistência hospitalar. O episódio teve lugar em Maximinos, no centro de Braga, de onde Carlos Carvalhal é natural e reside atualmente.

Ontem quando regressava da Madeira (Rio Ave defrontou o Marítimo na anterior jornada da I Liga) para a minha residência em Braga fui atacado por três indivíduos encapuçados por volta das 2h15 da manhã“, começou por dizer Carlos Carvalhal, em comunicado publicado no Facebook.

O meu instinto levou-me a oferecer resistência (se calhar inadvertidamente) e com a ajuda do meu filho, José Carlos, conseguimos resolver a situação. Resultaram algumas escoriações e um hematoma, nada de preocupante“, acrescentou o técnico dos vilacondenses.

Carvalhal agradeceu “todas as manifestações de amizade e solidariedade“, mas pediu que não ligassem para ele ou para a sua família, por forma a ultrapassarem o sucedido o mais rapidamente possível. O mesmo explicou ainda que “a PSP de Braga  foi prontamente chamada ao local e foram inexcedíveis no apoio após incidente“, além de terem prontamente tomado conta da ocorrência. “Espero que em breve capturem os responsáveis por esta tentativa de assalto“, concluiu o técnico.

 

Fonte da Imagem: Twitter RádioGaloNews

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.