À meia dúzia é mais barato para os campeões nacionais

Os dragões, já campeões nacionais, receberam e venceram o Moreirense por 6-1, com golos de Luis Díaz, Alex Telles, Otávio, Tiquinho Soares (duas vezes) e Marega.

O FC Porto recebeu o Moreirense em jogo a contar para a 33ª jornada do campeonato, depois de já se ter sagrado campeão na jornada anterior, após vencer o Sporting por 2-0.

Por isso mesmo Sérgio Conceição implementou algumas mexidas no 11 inicial, fazendo entrar Diogo Costa para a baliza, Diogo Leite para o lugar de Pepe e ainda Corona para o lugar de Loum. Os escolhidos foram Diogo Costa; Manafá, Diogo Leite, Mbemba, Alex TellesDaniloOtávio, Fábio Vieira; Corona, Luis Díaz e Marega.

Já os visitantes, liderados por Ricardo Soares, implementaram uma pequena revolução no 11, entrando em jogo com Mateus Pasinato; João Aurélio, HallicheRosicAbdu; Filipe Soares, Mané, Alex Soares, Pedro Nuno; Luther e Fábio Abreu.

Apesar das mexidas na equipa inicial, os dragões mostraram que não estavam para brincadeiras e entraram com a força toda. Depois de uma boa combinação na ala esquerda entre Fábio Vieira, Danilo Pereira e Alex Telles, o lateral brasileiro cruzou para o coração da área, onde surgiu completamente sozinho Luis Díaz para fazer o 1-0 logo ao quarto minuto.

Depois do golo, os dragões foram dominando a posse de bola, sem criar, no entanto, grandes oportunidades de golo, mas foram mesmo os visitantes a chegar ao golo, num lance em muito semelhante  ao do FC Porto. O meio-campo Cónego encontrou Abdu Conté na ala esquerda totalmente sozinho e o lateral cruzou com conta, peso e medida para o centro da área, onde Fábio Abreu subiu ao segundo andar, elevando-se a Diogo Leite, para fazer o 1-1 e o seu 13º golo no campeonato.

A turma azul e branca não baixou os braços com este empate e logo dois minutos depois, aos 22, Marega surgiu na cara de Pasinato, mas permitiu ao guardião forasteiro uma boa defesa. Logo de seguida um remate cruzado portista passou rente ao poste esquerdo de Pasinato, mas não passou de um susto.

Depois desta dupla de golos e de oportunidades azuis e brancas, o jogo acalmou substancialmente. O FC Porto manteve a posse de bola, enquanto o Moreirense foi esperando por aberturas para sair em contra-ataque, mas as oportunidades de golo não surgiam. Sérgio Conceição ainda tomou a decisão de tirar Fábio Vieira de campo aos 36 minutos, fazendo entrar Uribe, por opção, por sentir que o jovem não estava a auxiliar o meio-campo a descongestionar como deveria, mas a única oportunidade flagrante surgiu já em cima do intervalo.

Aos 45+1, Otávio picou a bola por cima da defesa de Moreira de Cónegos com grande classe, desmarcando assim Marega na cara do golo, mas na hora da finalização o avançado maliano pecou e não conseguiu fazer o 2-1. As equipas chegavam assim empatadas ao intervalo.

Com o retomar da partida, os dragões começaram a segunda parte exatamente da mesma forma que haviam começado a primeira: a marcar. Logo ao minuto 51, Marega desmarcou-se na ala direita e cruzou rasteiro, Otávio rematou de primeira, de pé esquerdo, para o canto inferior direito de Pasinato, repondo a liderança portista.

A entrada do FC Porto na segunda parte foi fulminante e apenas um minuto após fazerem o 2-1, o juiz da partida assinalou castigo máximo na área do Moreirense, por falta de Pasinato, que derrubou o pé de apoio de Luis Díaz. Na hora de assumir a cobrança da grande penalidade, o escolhido foi o sujeito do costume, Alex Telles, que não perdoou, enganando o guarda-redes, e fez o 3-1.

Como não há duas sem três, os azuis e brancos não perdoaram a passividade visitante e chegaram mesmo ao 4-1 ao minuto 61. Marega teve direito a um livre direto junto à entrada da área e deixou Pasinato totalmente pregado ao chão.

Estes três golos de rajada dos campeões nacionais acalmaram bastante o jogo e durante cerca de 10 minutos acalmou. Já ao minuto 73 Otávio encontrou, com um cruzamento rasteiro, Tiquinho Soares, que entrou para o lugar de Marega, e o avançado brasileiro marcou o 5-1, mas o árbitro já tinha assinalado fora-de-jogo e o lance foi anulado.

Perante a maior calma registada no jogo, Sérgio Conceição implementou uma estreia no campeonato no lado dos dragões, fazendo entrar o jovem guardião Mouhamed Mbaye para o lugar de Diogo Costa, dando-lhe assim a oportunidade de ser considerado campeão nacional.

O FC Porto não tirava o pé do acelerador e cinco minutos depois do primeiro aviso, Tiquinho Soares festejou finalmente na noite, com aquele que foi mesmo o golo da noite. O ataque portista combinou muito bem no lado direito e Otávio surgiu à entrada da área. Aí, o médio brasileiro combinou com Luis Díaz e o extremo colombiano de calcanhar isolou o companheiro de equipa, que na cara de Pasinato deixou para o lado, para Tiquinho apenas encostar para o 5-1.

Pelo meio, Fábio Abreu ainda deixou uma ligeira ameaça junto da baliza de Mbaye, mas os dragões chegaram mesmo à meia dúzia, com novamente Otávio a servir Tiquinho, com um cruzamento rasteiro. O avançado brasileiro apenas teve que encostar para o 6-1.

Até ao final nada mais houve a assinalar na partida. Os campeões nacionais golearam o Moreirense como uma goleada à antiga, vencendo por uns expressivos 6-1, numa altura em que nenhuma das equipas tinha algo a ganhar com o jogo.

 

Fonte da Imagem: Twitter FC Porto

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.