Restrições do calendário poderão implicar final a oito na Taça da Liga

Os três meses de interrupção das competições desportivas, devido à pandemia de covid-19, levaram a que o calendário para a próxima temporada tenha várias restrições e esteja com bastante constrangimento, colocando em causa algumas competições, como é o caso da Taça da Liga.

Segundo avança esta segunda-feira o diário desportivo nacional O Jogo, a Liga Portugal irá mesmo avançar para a reestruturação da prova, devido à falta de datas disponíveis e há um modelo de competição composto e a ganhar força: uma final a oito, à semelhança do que será feito na Liga dos Campeões, em agosto.

A mesma publicação avança que a ideia passa por abandonar, no mínimo na próxima época, o modelo anterior de uma fase de grupos e de uma posterior final four, e ter uma fase final disputada a oito equipas.

Quanto a quem seriam essas oito equipas, essas seriam determinadas consoante a classificação dos dois principais escalões do futebol português a 30 de novembro. Ou seja, participariam os oito primeiros classifcados da Liga NOS nessa data, tal como os dois primeiros da LigaPro. Este modelo implicaria assim que a próxima edição da Taça da Liga tivesse menos duas equipa da Segunda Liga e menos seis da Primeira.

Ainda a mesma fonte avança que este novo modelo seria benéfico a nível financeiro para os seus participantes, uma vez que o valor total seria dividido por oito equipas em vez das habituais 16. Assim sendo, cada um dos participantes receberia, em média, mais de 120 mil euros, que é o valor recebido por cada equipa normalmente pela sua participação na fase de grupos desta competição.

Contudo, esta decisão não é, ainda, oficial e deverá ser apenas discutida e anunciada oficialmente no final da presente temporada, em assembleia-geral, a ter lugar no dia 2 de agosto.

A possibilidade de ser utilizado este novo modelo surge depois de algumas equipas, entre os quais o Benfica e o Sporting, terem criticado a possibilidade de se manter o formato original da prova.

Numa nota deixada à comunicação social no início do mês, as águias consideraram que a decisão de manter esse formato era “incompreensível e contraria toda a reflexão que se tinha vindo a fazer sobre a necessidade de redimensionar e compatibilizar o calendário das competições“.

Nos últimos anos temos vindo a assistir ao final das Taças da Liga em muitos países face à conclusão de que temos cada vez mais jogos para os mesmos jogadores. Levando a que os calendários nacionais e internacionais façam com que alguns dos nossos jogadores realizem bem mais de cinquenta jogos por temporada“, referiram os encarnados, lembrando, na altura, que no próximo ano haverá campeonato europeu.

Ou seja, os clubes vão ter o mesmo número de jogos em menos de um mês de competição. Se na época passada já se sentiu o caos na marcação de jogos, teme-se o pior para esta época“, terminava o comunicado.

Mais tarde, mais propriamente no final da semana passada, o Benfica voltou a insistir nas críticas relativamente a manter-se o formato da Taça da Liga que até então vinha sendo utilizado face ao constrangimento do calendário da próxima época.

Fonte da Imagem: Twitter Liga Portugal

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.