Quem te viu e quem te vê: Rogelio Funes Mori

No “Quem te viu e quem te vê” desta semana, falamos de Rogelio Funes Mori, ponta de lança que não se conseguiu impor no Benfica. Sabe o que é feito do argentino?

Rogelio e o seu irmão gémeo Ramiro (também ele futebolista profissional e joga, atualmente, no Villarreal) nasceram na cidade argentina de Mendoza em 1991 e, quando tinham dez anos, mudaram-se para os EUA. Foi neste país que cumpriram grande parte da sua formação ao serviço das suas escolas, do Associated Soccer Group e do FC Dallas.

Em 2008, após impressionarem no norte do continente americano, regressaram à sua nação para representarem, numa primeira instância, os escalões jovens do histórico River Plate. Foi nesta fase que os percursos dos irmãos se começaram a separar dado que Rogelio progrediu mais rapidamente e estreou-se pela equipa principal logo em 2009, com 18 anos, enquanto que Ramiro só chegou a este nível em 2011.

O ponta de lança cumpriu quatro temporadas ao serviço do emblema de Buenos Aires, ao longo das quais contabilizou 90 partidas, 22 golos e seis assistências. No verão de 2013, estes números foram suficientes para convencer a direção liderada por Luís Filipe Vieira a investir dois milhões de euros na contratação do jogador de, então, 22 anos.

No entanto, a passagem do avançado por Portugal foi um fracasso. Devido à concorrência de Cardozo, Lima e Rodrigo no setor ofensivo encarnado, Funes Mori acabou por passar a época alternando entre a equipa B e o plantel principal e, apesar de na Segunda Liga ter apontado uns impressionantes 13 golos e três assistências em apenas 12 jogos, o argentino não conseguiu registar qualquer participação direta num tento nos 396 minutos de jogo que lhe foram dados por Jorge Jesus.

Assim, na época seguinte, o atleta foi emprestado aos turcos do Eskisehirspor. O jogador exibiu-se a um bom nível nesta cedência, fazendo as redes adversárias abanar em 14 ocasiões e assistindo os seus colegas oito vezes nas 36 partidas que disputou na Turquia.

Embora tivesse havido troca de pontas de lança (Cardozo, Lima e Rodrigo haviam abandonado o plantel, mas, nos seus lugares, estavam agora Jonas, Mitroglou e Raúl Jiménez) e de treinador (Jorge Jesus tinha sido substituído por Rui Vitória) na Luz, Funes Mori continuava sem entrar nos planos dos encarnados. Deste modo, no verão de 2015, os mexicanos de Monterrey adquiriram o passe do argentino de, na altura, 24 anos a troco de 3,6 milhões de euros.

Atualmente, Funes Mori tem 29 anos e continua a atuar no México. O jogador tem feito temporadas notáveis e é já o segundo melhor marcador da história do Monterrey, somando 107 golos (aos quais ainda acrescenta 27 assistências) em 205 encontros. Coletivamente, também tem tido muito sucesso, conquistando um Liga e uma Taça mexicanas, bem como uma Liga dos Campeões CONCACAF.

Funes Mori tem tido uma carreira bastante peculiar. Depois de ter demonstrado algumas boas indicações no River Plate,  mudou-se para Lisboa onde, quer devido à elevada concorrência, quer devido à pouca confiança que os treinadores tiveram em si, não conseguiu brilhar. Já na Turquia e no México, aconteceu precisamente o contrário e o ponta de lança demonstrou toda a sua qualidade.

Ainda assim, em grande parte graças à positiva cedência ao Eskisehirspor, o Benfica conseguiu ter lucro com o atleta e, por isso, embora tenha sido um fiasco desportivo, não foi um flop financeiro.

 

Fontes da Imagens: Twitter SerBenfiquista, CONMEBOL, Twitter Planet Benfica, Instagram Rogelio Funes Mori, Site Oficial Monterrey

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.