FC Porto reage à decisão da SIC de acabar com os programas com comentadores afetos a clubes

O FC reagiu esta terça-feira de manhã à decisão da SIC de acabar com os programas com comentadores afetos a clubes, nomeadamente aos chamados ‘três grandes’, sublinhando que nunca tiveram qualquer tipo de interferência na escolha do comentador afeto ao seu clube e apontando ainda o dedo a Rui Santos, comentador do canal.

Em condições normais, o FC Porto não teria nada a dizer sobre uma decisão editorial deste género – cuja legitimidade não é colocada em causa –, mas tendo em conta a justificação avançada por Ricardo Costa, diretor de informação da SIC, cumpre esclarecer algumas coisas: o FC Porto nunca indicou qualquer comentador à SIC, nunca discutiu a seleção de comentadores com alguém da SIC, nunca instrumentalizou comentadores da SIC e nunca veiculou qualquer linha discursiva ou estratégia de comunicação através de comentadores da SIC – e o que se aplica à SIC aplica-se a todos os outros canais“, começou por escrever o FC Porto na sua newsletter Dragões Diário.

Além de se terem afastado desta decisão de qual o comentador afeto ao seu clube, a turma azul e branca deixou ainda duras críticas a Rui Santos, comentador desportivo da SIC: “Além disso, o FC Porto não pode deixar de notar que se mantém inamovível a posição de um comentador desportivo da SIC, Rui Santos, que se tem notabilizado pela difusão de argumentos notoriamente racistas, conforme já foi salientado pela SOS Racismo. Isso sim, mereceria um cabal esclarecimento público, de preferência sem desculpas esfarrapadas. A não ser que para a direção de informação da SIC os discursos racistas devam ser tolerados ao ponto de não serem considerados produtores de um “ambiente de toxicidade“.

 

Fonte da Imagem: Twitter oficial FC Porto

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.