Históricos: Jaap Stam, o holandês que aterrorizava avançados

O futebol é considerado por muitos como o desporto que mais se aproxima de uma forma de arte, muito devido à capacidade técnica de craques como Messi e Ronaldinho, à grande visão de jogo de maestros como Pirlo e Rui Costa e ao talento inato para fazer balançar as redes de goleadores constantes, tais como Cristiano Ronaldo e Robin Van Persie.

No entanto, no futebol também estão presentes aqueles que vivem para aterrorizar os adversários. Profissionais que, para impedirem qualquer oportunidade de golo, jogam no limite da expulsão, com uma raça e determinação que muitos analistas vêm como violência.

Os exemplos mais recentes de defesas implacáveis são Pepe e Sérgio Ramos. Já nos anos 90 e no início dos anos 2000, foi um holandês que dominou o setor defensivo do campo de futebol, inspirando alguns dos maiores defesas do século XXI.

Na edição dos Históricos desta semana, iremos falar sobre Jakob “Jaap” Stam, a grande muralha defensiva da geração holandesa de Patrick Kluivert, Clarence Seedorf e Edgar Davids.

 

 

Stam, nascido a 17 de julho de 1972, iniciou a sua carreira profissional em 1992, tendo passagens por alguns clubes de menor dimensão da Holanda, como o Zwolle da segunda divisão (32 jogos), o Cambuur-Leeuwarden (66 jogos) e Willem II (19 jogos). Foi após a mudança para o PSV Eindhoven em 1996 que o imponente central de 1,91 m ganhou a fama de defesa de classe mundial.

Em 89 partidas oficiais, conquistou uma Eredivisie (1996–97), uma Taça da Holanda (1995–96) e três Supertaças da Holanda (1996, 1997, 1998).

As suas prestações seguras e personalidade forte foram suficientes para que Alex Ferguson avançasse para a sua contratação em 1998. Ao serviço do Manchester United, o defesa central fez parte de um dos maiores períodos de hegemonia no futebol inglês e europeu, vencendo três títulos da Premier League (1998–99, 1999–00, 2000-01), uma Taça de Inglaterra (1998–99) e uma Liga dos Campeões (1998-99), na final icónica contra o Bayern de Munique.

Depois de 125 aparições oficiais pelos “red devils”, Jaap Stam mudou-se para a Liga Italiana em 2001 para representar a Lazio. Até 2004, o holandês participou em 94 jogos pelo clube da capital italiana, conquistando ainda uma Taça de Itália (2003-04).

Os seus últimos anos de carreira foram passados ao serviço do Milan (66 jogos entre 2004-2006) e do Ajax (52 golos), tendo acabado a sua carreira aos 35 anos como uma Supertaça de Itália (2004), uma Taça da Holanda (2006–07) e duas Supertaças da Holanda (2006, 2007) acrescentadas ao seu impressionante currículo.

Um jogador que possuía uma rara combinação de força, velocidade e habilidade com a bola nos pés, para além da sua forma dura de jogar, Stam foi um dos jogadores mais polémicos e mediáticos que passaram pelo futebol europeu, sendo distinguido como o melhor defesa pela UEFA nas temporadas 1998–99 e 1999–200.

Pela seleção holandesa, Stam conta com 67 internacionalizações, tendo partcipado em três Europeus e ainda no Mundial da FIFA de 1998.

Podemos, desta forma, considerar o atual técnico do FC Cincinnati dos EUA como um dos principais responsáveis pela revolução defensiva na estilo de jogo holandês que acabaria por introduzir ao mundo Virgil van Dijk e Matthijs de Ligt.

 

 

Fonte da imagem: mufclatest.com