Quem te viu e quem te vê: Bilal Ould-Chikh

Chegou à Luz conhecido como “novo Robben”. Atualmente, joga no ADO Den Haag da Holanda. De certeza que o nome desta antiga jovem promessa ainda está fresco, mas Bilal Ould Chikh não conseguiu, pelo menos para já, alcançar as expectativas outrora esperadas.

Nasceu a 28/07/1997, em Roosendaal, na Holanda. No mundo do futebol, deu os primeiros passos no RSC Alliance, depois, passou por alguns clubes holandeses, como o Feyenoord e o RBC Roosendaal (clube da terra), até que chegou ao Twente em 2012.

Fez o seu percurso pelos escalões de formação e na época 2014/15, com 17 anos, jogou pelos sub-19, pela equipa B e pela equipa principal dos De Tukkers. Pelos seniores, apesar da sua tenra idade, conseguiu participar em 18 partidas e abanou as redes adversárias por uma ocasião.

Visto como uma das maiores promessas da Liga Holandesa, cedo despertou a atenção dos dirigentes encarnados, que garantiram a sua assinatura no verão de 2015, a troco de 1,25 milhões de euros. O holandês tinha um plano de adaptação bem definido. Iria começar a ganhar rodagem na equipa B e posteriormente seria lançado na equipa principal.

Contudo, nem tudo correu bem a Bilal, os 337 minutos distribuídos por 13 jogos desiludiram os benfiquistas pelo fraco nível apresentado pelo jogador e a saída do clube tornava-se cada vez mais inevitável. O jogador apenas durou um ano em Lisboa e no verão seguinte viu o seu contrato ser rescindido.

Sem clube, o holandês voltou à sua terra, desta feita para representar o FC Utretch. Nova experiência, nova desilusão. Participou somente em 11 jogos pela equipa B e na equipa principal realizou apenas 70 minutos, repartidos por 5 partidas. Voltou a chegar o verão e o jogador voltou a rescindir contrato com o clube.

Novamente sem clube, Bilal partiu para uma nova aventura, agora na Turquia, para vestir as cores do Denizlispor. Pela equipa turca, que militava na segunda divisão, o jogador apenas foi convocado uma vez e não chegou a sair do banco. Contudo, no fim da época, ao invés de repetir a história e voltar a rescindir o contrato, foi transferido a custo zero para o ADO Den Haag.

Chegamos finalmente a 2019/20 e esta época também não tem corrido da melhor forma ao extremo holandês. Só realizou 375 minutos e não marcou nenhum golo, contudo, há que ter em conta que a Liga Holandesa foi uma das que optou por não regressar após a paragem do COVID-19.

Qual é a sua opinião? Bilal foi apenas fogo de vista ou houve que não deu certo? Será que ainda vai a tempo de relançar a sua carreira, ou está destinado a continuar a cair no esquecimento e a passar os jogos entre a bancada e o banco de suplentes?

Fonte das imagens: Twitter da SquawkaNews e 10CO10

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.