Lembra-se de Kerlon “Foquinha”?

Kerlon Moura Souza, ou “Foquinha” como era conhecido, tem talvez o drible menos ortodoxo de que há memória. A sua retirada foi referenciada no Ambidestro.

Kerlon nunca esteve no radar de equipas portuguesas mas o seu estilo único dá que falar.

Aos 17 anos, foi considerado o melhor marcador do sudamericano nos sub-17 em 2005, marcando uns impressionantes 8 golos em 7 jogos.

Previa-se uma grande promessa do jogador que ficou conhecido pelo “drible da foquinha”, que consiste em driblar os adversários dando apenas toques de cabeça.

No mesmo ano, em maio, estreia-se pela equipa principal do Cruzeiro, clube onde fez a sua formação. Esteve quatro épocas no clube e apesar de atuar muitas vezes no centro de ataque, nos 30 jogos que realizou com a equipa do estado de Minas Gerais não fez um único golo. Contudo, a grande equipa que o Cruzeiro tinha, com jogadores como Artur Moraes, Gladstone ou Fred, permitiu que tivesse ganho um Campeonato Mineiro, até que em 2008 foi comprado pelo Inter de Milão, na altura treinado por José Mourinho.

Contudo, nunca jogou pelo clube e teve sucessivos empréstimos. O primeiro foi ao Chievo Verona, mas as sucessivas lesões levaram-no a fazer apenas quatro jogos sem que tivesse marcado qualquer golo.

Na época seguinte, é emprestado ao Ajax. O clube holandês pretendia desenvolver o jogador para além do seu drible único, mas mais uma vez, as lesões fizeram com que não tivesse feito um único jogo, nem sequer na equipa B.

Sendo devolvivo meia-época depois, é emprestado no mercado de inverno ao Paraná, onde realiza quatro jogos e zero golos.

Nos dois anos seguintes é emprestado ao Nacional de Patos-MG, um clube brasileiro que foi fundado em 2008. Contudo, pelo clube de Minas Gerais fez apenas um jogo e zero golos.

A partir daqui, faz uma autêntica viagem internacional. Após se desvincular do Inter de Milão, segue para o Japão, mais propriamente para o  Fujieda MYFC, clube que tinha sido fundado em 2009 e nessa época contou apenas com 12 jogadores, jogando na terceira divisão do Japão. Foi neste clube que fez o seu primeiro golo como sénior. No total, foram 22 jogos e 9 golos em duas épocas.

A seguir, voltou a mudar de clube. Weymouth Wales do país Barbadus, mas não fez qualquer jogo.

Em 2015, assina pelo clube norte-americano Miami Dade onde faz cinco jogos e  três golos. No mesmo ano, volta à Europa, mais propriamente a Malta, para o modesto clube Sliema Wanderers. Participou em dois jogos e fez dois golos. Este seria, aliás, o último clube onde o jogador brasileiro voltaria a fazer um golo.

O regresso ao Brasil acontece no ano seguinte, para o Villa Nova-MG. Por lá, foram três jogos e zero golos.

Faz mais um regresso à Europa para jogar no último clube antes de se reformar. Spartak Trnava, da Eslováquia, foi o seu último clube tendo feito 4 jogos, sem qualquer golo.

O jogador acabaria por se reformar aos 29 anos, com passagem por 11 clubes, sem conseguir vingar propriamente em nenhum.

 

Se há jogador que levou a expressão “brinca na areia” a sério, esse alguém foi o Kerlon. Ficando mais conhecido pelo seu drible do que propriamente pelo seu currículum, Kerlon esteve ainda em tribunal, precisamente por causa do drible. O caso remonta a um clássico contra o Atlético Mineiro, onde o jogador do Atlético, Coelho, fez uma falta bastante grave e ainda o insultou. O caso chegou a tribunal devido à criatividade do jogador em campo, apesar de a mesma gerar muita controvérsia, pois é vista como uma provocação ao adversário.

No tribunal, pedia-se a pena de 360 dias para Coelho, mas o Supremo Tribunal de Justiça Desportiva do Brasil decidiu absolver o jogador e o mesmo apanhou apenas quatro jogos de suspensão devido aos insultos que fez ao “foquinha”.

 

Fonte Imagem: Twitter Esporte Interativo

João Estanislau

Jornalista no site leonino.pt, sou licenciado em Comunicação Empresarial pelo ISCEM, tenho uma pós-graduação em Gestão e Marketing do Desporto pelo INDEG-ISCTE e encontro-me a frequentar outra em Director Técnico Desportivo para a Universidade Europeia. Sempre ligado ao futebol e à comunicação, pretendo partilhar contigo a minha visão do desporto rei. Fica atento!