Quem te viu e quem te vê: Zakaria Bakkali

Uma das maiores promessas belgas da década, Zakaria Bakkali nunca atingiu o potencial esperado. Passou de ser apelidado de “Novo Messi” para suplente não utilizado do Anderlecht.

Zakaria Bakkali, nasceu a 26 de janeiro de 1996 na Bélgica, em Liège, contudo é filho de pais marroquinos, daí a sua dupla nacionalidade. Deu os primeiros passos no futebol no RFC Liège e rapidamente passou para o “grande” da sua cidade, o Standard Liège. Por lá, impressionou, até à temporada de 2007/08, quem observava os escalões de formação belgas. Na época seguinte, com apenas 12 anos fez as malas e viajou para a Holanda, para representar o PSV Eindhoven.

Com a camisola dos Lempkes, o extremo esquerdo evoluiu e voltou a impressionar, sendo uma das figuras principais de cada escalão por onde passou. Em 2013/14 fez a sua estreia pela equipa sénior do PSV. Apesar da tenra idade o jogador realizou 23 partidas e marcou quatro golos, finalizando assim a temporada na lista de desejos de meia europa.

Detentor do interesse de clubes como o Manchester United, Liverpool, Atlético de Madrid, FC Porto, Leicester e Valência, o jovem jogador optou por vestir as cores da equipa che, a custo zero . No Valência, em 2015/16, jogou somente 694 minutos durante toda a época (teve algum tempo indisponível devido a uma lesão) e só abanou as redes adversárias por uma ocasião. A primeira temporada desapontou os responsáveis do clube de Valência e a segunda não foi melhor. Realizou menos minutos (apenas 400) e marcou dois golos.

Assim, o clube entendeu que a melhor opção seria emprestar o atleta ao Deportivo da Corunha. O número de minutos aumentou, passando assim para 996 minutos, mas o nível de jogo não, antes pelo contrário, sendo que o jogador não registou qualquer golo e apenas uma assistência.

Após desiludir na aventura por Espanha, o clube che vendeu o jogador ao Anderlecht, a troco de 1,2 milhões de euros. De novo na Bélgica, por onde ficou nas últimas duas épocas, o extremo teve um começo positivo, em 2018/19, até outubro, tinha três golos e uma assistência em nove partidas.

No entanto, rapidamente voltou à sua fraca forma, pois até ao final da época jogou apenas mais 13 jogos, não tendo marcado mais nenhum golo. A má forma não tinha como parar e nesta temporada que há pouco finalizou (2019/20), participou somente em 54 minutos, divididos por quatro jogos, graças a uma operação ao joelho, que lhe retirou grande parte da época.

Agora, o baixo e destro extremo esquerdo, espera encontrar a forma e atingir o potencial espectado outrora. Deixarão as lesões de acompanhar o jogador? Melhorará o belga o seu rendimento individual? Poderá atingir o nível que era esperado quando representava o PSV?

 

Fonte da imagem: Twitter da @SquawkaNews, da @ScoutedFtbl e da @MessiMinutes.

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.