Vitória de Setúbal acusa Pedro Proença de criar “obstáculos ao regular funcionamento das competições desportivas”

O Vitória de Setúbal emitiu este domingo um comunicado, nas suas plataformas oficiais, onde deixou duras críticas aos responsáveis da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, nomeadamente a Pedro Proença, presidente daquele organismo.

Num documento cujo título é “No campeonato que mais importa — o da legalidade — a Liga claudica e em grande estilo”, os sadinos deixaram duras críticas a Pedro Proença, bem como a duas das suas diretoras, após terem visto chumbada pela Liga a sua participação nas provas profissionais. O Vitória FC considera que estes intervenientes criaram “intencionalmente, obstáculos ao regular funcionamento das competições desportivas“.

É o presidente da Liga e duas das suas diretoras quem estão a criar, intencionalmente, obstáculos ao regular funcionamento das competições desportivas, tentando, ainda, condicionar as decisões que esta sociedade desportiva entende irão ser adotadas, brevemente, pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD)“, afirmam.

Os setubalenses consideram estar a ser cometido um “grave atropelo à legalidade e ao respeito pelos tribunais” e informam ainda que irão apresentar, na segunda-feira, recurso para o Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

A Vitória FC, SAD tomou a decisão de apresentar, no dia de amanhã (segunda-feira), ou seja, dentro do prazo fixado para o efeito, o recurso para o CJ da FPF para impedir que o presidente da Liga e duas das suas diretoras tentem fazer entrar pela janela aquilo que, certamente, os tribunais não deixarão entrar pela porta, repondo a legalidade e viabilizando a manutenção do Vitória no lugar a que pertence e conquistou desportivamente“, pode ler-se no comunicado.

Segundo os sadinos, o facto do presidente da Liga Portugal e de duas das suas diretoras terem aceite as as candidaturas de Cova da Piedade e Casa Pia nas provas profissionais representa um grave atropelo à legalidade e ao respeito pelos tribunais e suas decisões: “Além de poder configurar matéria de relevo em diversas dimensões do Direito, incluindo a criminal, representa um grave atropelo à legalidade e ao respeito pelos tribunais e suas decisões, porquanto, não obstante sabedores da sua incompetência para decidir em tais matérias, não só não emendam a mão e reconhecem que erraram, como persistem e insistem em praticar atos ilegais“.

Este comportamento do presidente da Liga e de duas das suas diretoras é altamente temerário e perturbador da ordem jurídica desportiva e dos interesses que deviam proteger, na medida em que, sabendo das impugnações da deliberação que não admite o VFC, SAD a participar nas competições profissionais para a época 2020/2021, tentam, à socapa, e intencionalmente, fazer passar uma outra que é consequência e execução da que se encontra impugnada e a aguardar decisão do TAD“, conclui o Vitória.

 

Fonte da Imagem: Twitter oficial Vitória FC

 

Francisco Carvalho

Desde tenra idade que duas paixões me cativaram, desporto e a escrita, sendo a sua união o cenário ideal. Cedo percebi que com esforço e dedicação poderia juntar uma paixão a uma profissão, sendo o jornalismo a resposta. Numa geração onde a banalização e a desvalorização da informação são recorrentes, quero mostrar a relevância do mundo jornalístico em toda esta sociedade cativante que nos rodeia.