Quem te viu e quem te vê: Anderson Talisca

No “Quem te viu e quem te vê” desta semana, debruçamo-nos sobre o caso de Anderson Talisca, o talentoso e controverso brasileiro que passou pelo Benfica e que tem estado afastado dos holofotes. Sabe por onde anda o jogador atualmente?

Anderson Souza Conceição, ou, no mundo do futebol, Talisca, começou a dar os primeiros toques numa bola pelo modesto Astro, clube de Feira de Santana, município pertencente ao estado de Bahia e de onde o atleta é natural. Mais tarde, em 2007, teve uma curta passagem de apenas dois anos pelo Vasco da Gama antes de se juntar ao EC Bahia, emblema no qual concluiu a sua formação.

Foi também neste último clube que o brasileiro realizou a sua estreia no futebol profissional a 19 de janeiro de 2013, quando tinha apenas 18 anos. Apesar de ser a sua primeira época no futebol sénior, conquistou o seu lugar na equipa e teve bastante tempo de jogo, contabilizando 38 partidas, das quais 19 foram a titular.

Na meia temporada seguinte, o canhoto ganhou ainda mais importância no plantel, alinhando em 30 encontros, sendo que somente quatro destes foram vindos do banco. Neste período, o seu contributo ofensivo aumentou consideravelmente, tendo feito as redes adversárias abanar em oito ocasiões (no ano de estreia marcou três golos).

No verão de 2014, a direção liderada por Luís Filipe Vieira foi seduzida pelas prestações do jovem de, então, 20 anos e investiu quatro milhões de euros na aquisição do passe do jogador. No seu ano e meio na equipa principal do Bahia, o jogador conquistou um Campeonato Baiano.

Uma primeira época a dois ritmos

O início da passagem de Talisca pelo Benfica dificilmente poderia ter corrido melhor. Nos primeiros 14 jogos da época 2014/15 esteve sempre no onze inicial escolhido por Jorge Jesus, apontou nove golos (incluindo um hat-trick e um bis) e foi eleito o melhor jogador do mês da Liga Portuguesa em agosto e setembro.

Contudo, à medida que a temporada ia avançando, o fulgor inicial do atleta ia se apagando e o nível exibicional baixou substancialmente. Após esse bom início, ainda somou mais 30 jogos, mas 16 destes surgiram como suplente utilizado, perdendo o estatuto de titular indiscutível. A sua veia goleadora também abrandou consideravelmente, já que só voltou a alterar o marcador duas vezes (também registou três assistências).

Na temporada seguinte, embora Jorge Jesus tenha abandonado os encarnados e Rui Vitória assumido as rédeas, a situação do médio não sofreu grandes alterações e manteve a tendência negativa que trazia do ano anterior. Perdeu ainda mais espaço na equipa, contabilizando 34 jogos, (dos quais só 15 foram a titular) e apontou nove tentos (curiosamente, voltou a fazer um hat-trick) e um passe para golo.

No entanto, coletivamente, as águias foram muito bem sucedidas nestas duas épocas e Talisca acrescentou ao seu palmarés medalhas de vencedor de uma Supertaça, duas Taças da Liga e duas Ligas Portuguesas.

Turquia foi solução… ou um problema?

Foi neste contexto que, no final da época 2015/16, o canhoto foi emprestado ao Besiktas por dois anos a troco de quatro milhões de euros. Na Turquia, exibiu-se em grande plano e alcançou a consistência que lhe havia faltado de águia ao peito. Ao todo, foram 80 partidas pelo emblema de Istambul (11 delas como suplente), ao longo das quais colocou a bola dentro das balizas oponentes em 37 momentos e assistiu os seus colegas 14 vezes. Também ajudou a sua equipa a conquistar uma Liga Turca na temporada 2016/17.

Todavia, ao longo destes dois anos, a sua relação com o Benfica foi-se deteriorando e viu-se envolvido em várias polémicas: afirmou que não queria ter abandonado a Luz e que a decisão havia sido da direção encarnada; marcou um golo aos lisboetas na Liga dos Campeões e festejou exuberantemente; alegou que tinha sido “meio ameaçado” a renovar contrato com as águias, já que estas o iriam proibir de participar nas competições europeias caso não assinasse; acusou o Benfica de ter falhado o pagamento de um dos seus ordenados; expressou várias vezes a intenção de não voltar a representar o clube detentor do seu passe e o desejo de permanecer no Besiktas.

Para além de todos estes atritos com a equipa da capital portuguesa, Talisca também chegou a ter problemas com os turcos. No início do seu segundo ano de empréstimo, o jogador não se apresentou aos treinos de pré-temporada na data prevista. Todos estes casos ilustram bem os problemas de atitude do esquerdino.

Assim, no verão de 2018, os desentendimentos entre o atleta e o Benfica impossibilitavam o regresso do mesmo à Luz e a saída era a única opção possível. Findado o período de empréstimo, o Besiktas pretendia adquirir o passe do brasileiro, mas, alegadamente, contava com a concorrência de clubes como Roma, Juventus, Liverpool e Manchester United.

Apesar do interesse destes grandes conjuntos europeus, o jogador que, na altura, tinha 24 anos, acabou por assinar pelo Guangzhou Evergrande (clube que ainda representa) da China, país no qual, como se sabe, os clubes oferecem excelentes condições financeiras às suas estrelas.

Inicialmente, as águias receberam 5,8 milhões de euros pelo empréstimo do médio que, poucos meses mais tarde, foi adquirido a título definitivo por 19,2 milhões, perfazendo um valor total de 25 milhões. Desde a sua chegada, o médio ofensivo tem vindo a brilhar, contabilizando 53 encontros, 34 golos e 12 assistências e vencendo o Campeonato da China de 2019.

Anderson Talisca tem tido, até agora, uma carreira peculiar. O seu talento é inegável, sendo exímio na cobrança de livres diretos e um enorme perigo à entrada da área devido à sua excelente meia distância. Contudo, a sua passagem pelo Benfica deixou um sabor amargo nos adeptos encarnados, não só pelo seu péssimo comportamento fora de campo, mas também pela sua inconsistência dentro do mesmo. Já no Besiktas, apresentou regularmente toda a qualidade que prometia nos seus primeiros jogos de águia ao peito, atraindo o interesse de alguns tubarões europeus. Porém, deixou-se convencer pelo dinheiro asiático e tem estado afastado dos grandes palcos do futebol, onde, com certeza, teria espaço e se poderia impor como um grande jogador. Ainda assim, Talisca tem apenas 26 anos e, por isso, tem ainda tempo para regressar aos campeonatos europeus.

 

Fontes das Imagens: Twitter @esportesnott, Twitter @SPFCDigital, Twitter @SLBenfica, Twitter @Besiktas, Site Oficial Anderson Talisca

Simão Vitorino

Nasci e cresci em Vila Franca de Xira e estou atualmente a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação na faculdade NOVA FCSH com o objetivo de me tornar jornalista desportivo no futuro, profissão que une duas grandes paixões minhas - o futebol e a escrita.