Históricos: Robert Pirès, o mágico de uma geração

Uma lenda dos “Gunners” e da seleção francesa, Robert Pirès é um dos melhores médios que já pisaram os relvados, tendo feito parte da geração de ouro francesa que conquistou um Mundial e um Europeu em sequência.

Uma das equipas mais temidas da história do futebol mundial é a famosa seleção francesa que encantou os relvados entre o final dos anos 90 e meados dos anos 2000.

Era uma geração que deu a conhecer ao mundo alguns dos jogadores mais habilidosos e icónicos de que há memória. Thierry Henry era o avançado imponente e com um drible veloz que marcava a qualquer equipa com estilo e eficácia; Patrick Vieira era o comandante, um capitão que levava a equipa às costas  com uma defesa exímia, sem deixar de demonstrar capacidade para ajudar no ataque quando necessário e Zidane era o maestro, principal figura de um conjunto que ainda contava com nomes como Trézéguet, Thuram, Desailly e Makélélé.

No meio de todas estas estrelas, um jogador conseguiu destacar-se pela sua capaciade de passe quase perfeita e pelo seu drible, tornando-se um génio dentro das quatro linhas. Um maestro do futebol que conquistou adeptos um pouco por todo o mundo e que se tornou uma das figuras da geração de ouro francesa.

Na edição dos Históricos desta semana, apresentamos uma das estrelas da equipa invencível do Arsenal de 2003/04 e que, juntamente com David Beckham, tornou o número 7 uma marca mundial antes da chegada de Cristiano Ronaldo.

Robert Emmanuel Pirès, nascido a 29 de outubro de 1973, iniciou a sua carreira profissional no Metz em 1992, tendo marcado 48 golos em 198 jogos. Durante este período, conquistou uma Taça da Liga francesa na época 1995-96, despertando, assim, o interesse do Marselha.

O gigante francês contratou o promissor médio em 1998, com o mesmo a realizar 93 jogos e a marcar 14 golos em duas épocas.

Em 2000, muda-se para o Arsenal, iniciando a sua fase mais dourada da carreira. Em 284 jogos, ficou notório por fazer muitos golos de fora da área e pelos seus passes precisos, realizando jogadas de alto nível com o compatriota Thierry Henry.

Com 84 golos, Pirès ajudou o Arsenal a conquistar dois títulos da Premier League ( 2001-02 e 2003-04); três títulos da FA Cup ( 2002, 2003 e 2005) e dois títulos da FA Community Shield (2002 e 2004).

Acarinhado em Inglaterra, Pirès transferiu-se para o Villareal em 2006, onde permaneceu até 2010. Depois de 129 jogos e 18 golos, o lendário médio francês passou os últimos anos como profissional ao serviço do Aston Villa (2010-11) e do Fc Goa da Índia (2014-15) antes de se retirar dos relvados com um currículo que se aproxima de alguns dos melhores de todos os tempos.

No seu extensivo palmarés de troféus individuais, Pirès foi nomeado o jovem jogador do ano da Ligue 1 (1995–96); melhor jogador da Taça das Confederações (2001); melhor jogador da Premier League (2001–02); Equipa do ano da Premier League (2000-01, 2001-02, 2002-03 e 2003-04); máximo goleador da Taça das Confederações (2001) e líder de assistências do campeonato inglês (2001–02).

Ao serviço da seleção gaulesa, o médio ganhou um Mundial da FIFA em 1998, um Europeu da UEFA em 2000 e duas Taças das Confederações (2001 e 2003), tudo isto em 79 internacionalizações.

Após 23 anos de atividade no desporto-rei, Pirés é considerado um dos melhores jogadores dos últimos 20 anos e um modelo a seguir para qualquer médio que queira deixar a sua marca no futebol mundial.

Fonte da imagem: arsenal.com