André Villas-Boas vence Neymar e companhia em jogo que termina em confusão

Dez anos depois, o Parque dos Príncipes voltou a presenciar uma vitória marselhesa. Os comandados de André Villas-Boas viajaram até Paris para defrontar o PSG numa autêntica batalha campal, influencida por declarações polémicas de parte a parte e pela próoria rivalidade histórica entre os dois clubes.

Apesar de não ter sido uma partida que se jogou com um nível constante de vertente atacante e criatividade, em termos táticos e de intensidade foi um encontro muito  disputado entre ambas as equipas que acabou por levar a momentos de tensão já na reta final.

Durante os primeiros 45 minutos, o PSG aplicou uma grande pressão sobre a defesa adversária. No entanto, foi o Marselha a sair para o intervalo em vantagem, graças ao golo de Thauvin aos 31 minutos, a cruzamento de Payet.

No segundo tempo, os parasienses foram em busca do empate, mas Mandanda quase sempre respondeu à altura das investidas de Neymar. Já Di María viu o seu golo anulado pela equipa de arbitragem devido a fora de jogo.

O Marselha também criou oportunidades de golo na baliza contrária, chegando inclusive a fazer o 2-0 por Benedetto, num lance igualmente invalidado por posição irregular.

Num grande espetáculo em que nenhuma equipa deixou de procurar a baliza adversária, houve uma grande confusão nos minutos finais, que levou a cinco expulsões: Kurzawa, Paredes, Neymar, Amavi e Benedetto.

A equipa do sul de França soma a segunda vitória consecutiva no campeonato, enquanto que o PSG sofreu o segundo desaire, ficando a seis pontos do eterno rival.

Fonte da imagem: Olympique de Marseille twitter/@OM_Officiel