Dragões batem Gverreiros por 3-1 no primeiro jogo grande do campeonato

Após uma entrada forte do rival no campeonato o FC Porto necessitava de entrar bem no jogo. Como os dragões não tiveram influência do mercado no onze inicial o campeão nacional teve apenas algumas dificuldades a adaptar-se ao jogo. O SC Braga surpreendeu ao entrar para o jogo num 3-4-3 com Fransérgio e Ricardo Horta no apoio a Abel Ruíz.

Os primeiros minutos foram de grande intensidade e muito divididos mas as melhores oportunidades pertenceram aos azuis e brancos, tendo mesmo chegado ao golo aos 13 minutos mas este foi anulado por fora de jogo.

À passagem do minuto 20, contra a corrente de oportunidades do jogo, o SC Braga chega à vantagem com uma bela jogada finalizada por André Castro. O FC Porto demorou a recompor-se e só aos 45+1 chega ao golo do empate através de Sérgio Oliveira, dois minutos depois, ainda na compensação, Raúl Silva, que viria a ser expulso já fora de campo (minuto 74), compromete e faz uma falta dentro da grande área e os dragões chegam à liderança através de uma grande penalidade batida por Alex Telles.

Após o intervalo as equipas mostravam-se desgastadas depois de uma primeira parte muito intensa e foram os minhotos a comandar a maior parte do tempo da segunda metade mas foi o FC Porto, tal como na primeira parte tinha feito a equipa minhota contra a corrente do jogo, a ampliar a sua vantagem através de mais uma grande penalidade também batida por Alex Telles.

A salientar, mesmo não tendo conseguido a vitória, está a inteligência do SC Braga ao atacar o lado esquerdo dos dragões e criando superioridades numéricas devido às características ofensivas de Alex Telles que deixavam espaço para o ataque bracarense explorar.

Houve também tempo para para as estreias de Guilherme Schettine (SC Braga), Iuri Medeiros (SC Braga) e de Mehdi Taremi (FC Porto) em competições oficiais pelas suas novas equipas.

Em suma, tal como previsto foi uma grande partida nesta fase inicial do campeonato onde as equipas ainda acusam a falta de ritmo tendo havido uma grande quebra na intensidade da partida.