Crónica: Águias voam alto no regresso à Luz

Naquele que foi provavelmente o último jogo de Rúben Dias de águia ao peito, o Benfica realizou uma exibição de grande categoria que só pecou na finalização.

Com Pizzi a substituir Taarabt lesionado e com Rúben Dias a exercer a função de capitão de equipa, os comandados de Jorge Jesus mantiveram a mesma ideologia do jogo em Vila Nova de Famalicão.

Pressão constante; movimentações rápidas; muita posse de bola e reação rápida à perda de bola. Foi um Benfica avassalador que só não demonstrou o mesmo brilhantismo no momento da finalização.

Frente a um Moreirense que só conseguiu causar perigo na primeira em duas situações de contra-ataque, os “encarnados” inauguram o marcador aos 20 minutos num cabeceamento de Rúben Dias, no seguimento de um canto marcado por Cebolinha.

No total foi 68% de posse de bola; 18 tentativas de golo; quatro remates à baliza e 12 remates de fora da área. Um domínio avassalador que não se concretizou num resultado mais dilatado devido à falta de eficácia e à grande exibição de Pasinato, guarda-redes do Moreirense.

Nos segundos 45 minutos, mais do mesmo. As investidas de Darwin, Pizzi, Rafa e Waldschmidt sucediam-se, mas sem o desfecho desejado. O número 10 encarnado esteve perto de fazer o 2-0, mas viu o golo salvo em cima da linha por Steven Vitória.

As entradas de Pedrinho, Chiquinho e Seferovic serviram para refrescar a equipa, que continuou á procura do golo que afastaria qualquer hipótese da equipa de Moreira de Cónogos ainda conseguir roubar pontos no Estádio da Luz.

Aos 80 minutos, Jorge Jesus finalmente respirou de alívio. Grande arrancada de Darwin pela ala direita e assistência para o golo do recém entrado Seforovic.

Até ao final, André Almeida ainda acertou uma bola no poste, mas o resultado já não mudaria.

Vitória das águias e nota positiva para a exibição de encher o olho.

Fonte da imagem:  Liga Portugal Twitter/@LigaPortugal