O Arsenal “renovado” de Mikel Arteta

Um dos crónicos candidatos ao apuramento para a Champions League na Premier League, o Arsenal (outrora também um crónico candidato à conquista da prova), quer “reerguer-se das cinzas”. O clube da capital inglesa, viveu tempos difíceis após a saída de Wenger do comando técnico do clube. É certo que os adeptos gunners desesperavam por resultados que não estavam a ter nos últimos anos com o treinador francês, mas também é verdade que com Arsène viveram tempos de glória. Só que os clubes não podem viver do que já se conquistou. O passado tem de ser recordado e nunca apagado, mas há que olhar para o presente e visionar o futuro. Portanto, a saída do treinador com mais anos de casa ao serviço do clube inglês, já pecava por tardia. O problema é que a solução encontrada após a saída deste técnico, que além dos títulos que conquistou, também se caracterizou por praticar um bom futebol, não foi a esperada.

O técnico Unai Emery foi o homem que se seguiu, e, apesar de algumas coisas positivas, como a chegada a uma final europeia, nunca foi um homem consensual entre os adeptos, ele que vinha de um PSG onde não conseguiu deixar um legado (apesar de ter conquistado diversos títulos pelo emblema gaulês). Após uma época em Londres, a verdade é que Emery mereceu a confiança da direção do Arsenal, mas não conseguiu, uma vez mais, corresponder às expectativas, e foi despedido antes do fim do ano passado. Foi substituído por um técnico interino, uma lenda do clube, Fredrik Ljungberg. As coisas não correram bem ao ex-jogador, e rapidamente os responsáveis do emblema londrino tiveram de procurar outro treinador para a equipa principal. Desta vez, a escolha recaiu em Mikel Arteta, um técnico sem provas dadas no mundo do futebol, apenas tinha integrado a equipa técnica de Pep Guardiola no Manchester City, mas que tinha passado pelo clube como jogador.

Esta contratação, suscitou algumas duvidas no início, mas, no final de época, o balanço veio a ser positivo. O clube de Londres, precisava de apurar-se para as competições europeias, e, após a eliminação na Liga Europa e o fracasso no campeonato (onde o clube ficou em oitavo lugar), só restava a Taça de Inglaterra para salvar a época. Nas meias finais, o oponente era o Manchester City, o que não augurava muito otimismo. Contudo, o futebol é mais do que probabilidades, os comandados de Arteta levaram de vencida o clube de Manchester e chegaram à final, onde também venceram o Chelsea, e desta forma conquistaram a FA Cup, assegurando um lugar na Liga Europa da época 20/21. No começo desta temporada, defrontaram o Liverpool na Supertaça de Inglaterra e venceram o título, o segundo troféu da era Arteta.

Imagem
Fonte – Twitter: @Arsenal

Este treinador é dos mais promissores a nível mundial neste momento, visto o espectro negativo onde se encontrava o clube que atualmente representa, e que com a sua chegada, reverteu um cenário negativo em menos de um ano, conquistando duas taças e praticando um futebol bastante mais apelativo do que aquilo que o clube demonstrava com o seu antecessor. Para já, esta aposta está mais do que ganha e vamos ver o que poderá fazer este jovem técnico espanhol no futuro. O futebol não vive de conquistas passadas e certamente que as primeiras conquistas de Arteta enquanto treinador principal já foram festejadas e fazem parte do seu sucesso nos primórdios da sua carreira. Agora, outros objetivos estarão em mente e certamente que vamos ter um Arsenal mais competitivo na Premier League e na Europa durante a realização desta época desportiva.

 

Fonte da imagem de capa: Twitter @Arsenal

Fabio Mikael

Sou um apaixonado pelo desporto rei. Além disso, gosto muito de escrever e faço isso com paixão. Poder aliar às duas coisas, é fantástico, e estamos aqui para fazer crescer este jornal online cada vez mais.