Crónica: Golaço de Nuno Mendes guia leão aos três pontos

A terceira jornada da Liga NOS ditou que o Sporting Clube de Portugal iria a Portimão para defrontar o Portimonense. Depois do desaire europeu, os leões procuravam regressar às vitórias, enquanto a equipa algarvia tencionava assegurar a primeira vitória do campeonato.

A turma de Alvalade registava apenas uma alteração relativamente à última partida, frente ao Lask, a entrada de Pedro Gonçalves e a saída de Wendel, que, ao que tudo indica, está de saída para russos do Zenit, por um valor a rondar os 20 milhões de euros. Por outro lado, a formação da casa iniciou o jogo com uma defesa a cinco, composta por Candé, Willyan, Tagliapietra, Anzai e Maurício, de forma a tentar estagnar o jogo ofensivo dos leões, com Fabrício na frente, como principal referência atacante.

Manuel Oliveira apitou para o começo do jogo e o Sporting não perdeu tempo e adiantou-se no marcador. Nuno Mendes, influente como habitual. Ganhou a bola no flanco esquerdo, passou por um adversário, por dois, por três e tocou para o fundo das redes. Jogada magistral do jovem jogador de 18 anos. Não me canso de elogiar este jogador que, a meu ver, tem tudo para ser o grande lateral esquerdo formado em Alcochete e, na sua posição, um dos melhores jogadores portugueses de sempre.

O Sporting não baixou os braços, arregaçou as mangas e procurou o 2-0. Tanto procurou que o encontrou. Aos 11 minutos, uma boa jogada no flanco direito fez com que a bola chegasse aos pés de Vietto, que tirou o cruzamento, com conta, peso e medida para a cabeça de Nuno Santos, que apareceu ao primeiro poste e finalizou para dilatar a vantagem dos leões.

Ficava a sensação que os golos iriam continuar a um ritmo alucinante para os leões, mas, aos 20 minutos, uma alteração de Paulo Sérgio equilibrou o jogo. Saiu o central Tagliapietra e entrou o avançado Welinton Jr.; a equipa do Portimonense começou a crescer e a dividir as ocasiões de golo. Esteve até mesmo perto de marcar a equipa de Portimão, não fosse um corte fulcral de Nuno Mendes, impedindo o Portimonense de reduzir a vantagem aos 30 minutos.

Chegou o intervalo e ambas as equipas partiam para o descanso com a equipa da capital a vencer e a justificar, até ao momento, a vitória.

O Portimonense entrou decidido a encurtar distâncias no marcador. Os algarvios estavam melhor, estavam por cima e criavam mais perigo. No entanto, algumas alterações cirúrgicas de Rúben Amorim (saídas de Nuno Santos, Tiago Tomás e Luciano Vietto, para as entradas de Daniel Bragança, Tabata e Gonzalo Plata) agitaram o jogo leonino e conseguiram criar alguns momentos de aflição à equipa de Portimão.

No entanto, as alterações tiveram um efeito positivo durante pouco tempo, o Portimonense voltou a atacar e a criar ações de perigo, sendo que o jogo acabou com uma grande intervenção de Adán, a evitar um eventual golo de consolação da equipa do Algarve.

O Sporting voltou a vencer na Liga, mas também voltou a não convencer. Uns 20 minutos iniciais de grande qualidade serviram para marcar dois golos que garantiram a vitória aos leões. Num conjunto onde ainda existem muitas duvidas e incertezas, só há uma coisa certa: Nuno Mendes, com apenas 18 anos, é, e continuará a ser, um fora de série. Sem dúvida, um dos maiores talentos da sua geração na sua posição.

Fonte das imagens: Twitter da @LigaPortugal

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.