As 10 transferências mais caras do mercado de verão

O mercado de transferências foi mais agitado do que muitos previam, porém a verdade é que, de facto houve um impacto económico bastante forte nos clubes. Alguns históricos como o Real Madrid não gastaram um cêntimo e outros clubes com muito dinheiro como o PSG fizeram contratações por empréstimos, onde só na próxima época desportiva é que vão pagar algumas das contratações por empréstimo que fizeram. Podemos dizer que o fair-play financeiro teve peso nesta contenção de custos, mas é curioso que isso só aconteça na época onde estamos a vivenciar a maior pandemia dos últimos 100 anos. Mesmo assim, houve muitos clubes que não se privaram de quase nada, como os casos do Chelsea e do SL Benfica, que investiram muito dinheiro.

Em relação às maiores transferências deste mercado de verão, não houve nenhuma acima dos 100 milhões de euros, o que nos mostra a tal “contenção de custos”. Ainda assim, não se pode dizer que as contratações foram todas “baratas” quando os valores envolvidos em algumas delas são dezenas de milhões. Vamos ver quais foram as contratações mais caras deste defeso de verão:

  • 10 – Em décimo lugar, Nathan Aké, jogador que foi despromovido pelo Bournemouth. Apesar disso, é um jogador com muita qualidade e polivalência, podendo desempenhar várias posições na defesa e também a posição de médio defensivo. É um esquerdino que sai bem com bola, tem uma boa impulsão e um excelente jogo de cabeça. Foi comprado pelo Manchester City e custou, nada mais nada menos, do que 45, 3 milhões de euros.

 

  • 9 – O argentino Mauro Icardi já esteve no PSG por empréstimo na época passada, mas só neste mercado de transferências de verão é que foi confirmada a sua contratação pelo clube parisiense. Fez uma boa temporada 19/20 pelo clube da capital francesa, mas certamente que nesta temporada a exigência será ainda maior. O PSG pagou 50 milhões de euros ao Inter de Milão.

Fonte da imagem: Twitter @PSG_inside

  • 8 – Em oitavo lugar uma transferência que aconteceu nos últimos dias do mercado. O ganês Thomas Partey foi comprado por 50 milhões de euros pelo Arsenal, tendo assinado contrato pelos gunners até junho de 2024.

 

  • 7 – O Leicester tem feito nos últimos anos grandes vendas, como Harry Maguire ou Riyad Mahrez, e este ano não foi diferente. O lateral esquerdo Ben Chilwell custou ao Chelsea 50,2 milhões de euros, tendo abandonado os foxes após muitos anos ao serviço ao clube onde fez a sua formação.

 

  • 6 – Timo Werner é o homem que se segue. Depois de várias épocas a um nível muito alto, o alemão fez as malas com direção a Londres. O Chelsea foi o destino escolhido, tendo custado aos blues 53 milhões de euros.

 

  • 5 – O Barcelona e a Juventus fizeram uma troca que fez muita polémica em Espanha. O bósnio Miralem Pjanić seguiu para Camp Nou e o brasileiro Arthur Melo fez o caminho inverso para Turim. Um dos melhores jogadores bósnios da história custou 60 milhões ao clube da Catalunha, apesar de já estar na casa dos trinta.

 

  • 4 – A transferência de Rúben Dias do SL Benfica para o Manchester City foi uma surpresa de mercado. Não havia notícias onde se falasse da possível transferência do central encarnado para outro clube, e por isso, esta notícia caiu que nem uma bomba para muitos adeptos benfiquistas. O Manchester City pagou 68 milhões de euros pelo passe do internacional português.

 

  • 3 – No Top 3 das maiores transferências deste defeso, encontramos o ponta de lança nigeriano Victor Osimhen, que foi contratado pelo Nápoles ao Lille. Os napolitanos desembolsaram 70 milhões de euros pelo passe deste jovem de 21 anos.

Fonte da imagem: Twitter @gilabolacom

  • 2 – Já falamos anteriormente da troca polémica entre Barcelona e Juventus, e o clube italiano pagou 72 milhões de euros pelo passe de Artur Melo, numa troca com Pjanić.

 

  • 1 – Em primeiro lugar vamos encontrar Kai Havertz. O jovem alemão fez uma época de grande qualidade ao serviço do Bayer Leverkusen, e isso serviu para que pudesse ser transferido para Inglaterra. O seu destino foi o “rei” do mercado, o Chelsea. Somente neste criativo alemão, os londrinos investiram 80 milhões de euros.

 

 

Fonte da imagem de capa: Twitter @ManCity

 

 

Fabio Mikael

Sou um apaixonado pelo desporto rei. Além disso, gosto muito de escrever e faço isso com paixão. Poder aliar às duas coisas, é fantástico, e estamos aqui para fazer crescer este jornal online cada vez mais.