Corrida à Final Four da Liga das Nações intensifica-se com o fim da terceira jornada

A terceira jornada da fase de grupos do primeiro escalão da Liga das Nações terminou no dia de ontem, com vários confrontos e muito para contar. A Final Four da competição está à distância de três jogos e as contas começam a apertar-se para algumas equipas, que procuram ainda escapar à despromoção para a Liga B.

No grupo 1, os confrontos entre a Polónia e a Itália e a Bósnia e a Holanda conheceram os mesmos desfechos. Um empate a zero em ambos os jogos resultou em que as equipas se mantivessem nos mesmos lugares em que começaram a jornada. A Itália lidera o grupo com cinco pontos, tendo a Holanda atrás de si com menos um ponto, assim como a Polónia que ocupa o terceiro posto com os mesmos quatro pontos que a Laranja Mecânica. Em último lugar encontra-se a Bósnia e Herzogovina com apenas dois pontos.

Fonte da imagem: Twitter @azzurri

O jogo da Inglaterra com a Bélgica foi o confronto grande do grupo 2, com os ingleses a levarem a melhor sobre os belgas com um triunfo por duas bolas a uma. O jogo teve duas grande penalidades para cada lado, com Lukaku e Rashford a não desperdiçarem a ocasião e um golo triunfante de Mason Mount na segunda parte. O outro encontro do grupo foi entre a Islândia e a Dinamarca, que terminou com a vitória dos dinamarqueses por três a zero. Os tentos foram da autoria de Sigurjonsson (auto-golo), Eriksen e Skov. Desta forma, a Inglaterra subiu ao primeiro lugar da tabela com sete pontos, seguida da Bélgica, que após o desaire sofrido ficou com os mesmos seis pontos. A Dinamarca ocupa o terceiro posto com quatro pontos e a Islândia ainda está à procura da conquista dos primeiros pontos, somando zero até ao momento.

Fonte da imagem: Twitter @masonmount_10

O grupo 3 trouxe um grande confronto em perspetiva. A final do Europeu 2016 foi alvo de uma espécie de reedição, com Portugal e França a, mais uma vez, anularem-se numa partida sem golos durante os noventa minutos de jogo. A outra partida foi entre a Croácia e a Suécia, que terminou com um triunfo croata por duas bolas a uma. A um golo de Vlasic para a Croácia seguiu-se um tento de Berg, que empatou a partida. No entanto, foi mesmo a seleção balcã que levou a melhor, com Kramaric a selar a vitória na segunda parte. No seguimento destes resultados, a seleção das Quinas mantém-se no topo da tabela classificativa com sete pontos, os mesmos que a França. O terceiro lugar pertence à Croácia, que reúne três pontos. A Suécia encontra-se no último posto, ainda à procura de somar os primeiros pontos e escapar à descida de divisão.

Fonte da imagem: Twitter @equipedefrance

O grupo 4 confirmou a superioridade das seleções teoricamente favoritas. A Espanha ganhou pela vantagem mínima à Suíça, com um golo solitário de Oyarzabal a selar o triunfo espanhol. Já a Alemanha também conheceu o sabor da vitória frente à Ucrânia, com Ginter e Goretzka a marcarem pelos alemães e Malinovksy, de grande penalidade, a tentar remar contra a maré com uma grande penalidade bem convertida. Com estes resultados, a Espanha lidera o grupo com sete pontos, seguida da Alemanha que soma menos dois pontos. O terceiro lugar pertence à Ucrânia com três pontos somados, enquanto que a Suíça apenas tem um ponto e está na luta para não descer à Liga B.

Fonte da imagem: Twitter @SeFutbol

A corrida está a meio e ainda muitas decisões estarão para vir nas próximas três jornadas desta fase de grupos da Liga das Nações. Espera-se muita emoção na corrida à sucessão de Portugal como vencedor da competição, sendo que a própria armada lusa procura revalidar o título conquistado em 2019.

Fonte da imagem de capa: Twitter @KMbappe

 

 

 

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.