Lembra-se de?: Europeu de 1992, férias inesquecíveis.

O Campeonato da Europa de 1992 é uma competição que fica marcada na história por ter um dos finais mais inesperados de sempre.

Histórias de vencedores surpreendentes há muitas, Portugal no Europeu de 2016 na França, Boavista campeão nacional e Leicester campeão inglês são exemplos que vêm rapidamente à memoria, mas nenhum se pode comparar ao feito da seleção dinamarquesa de 1992.

A Dinamarca não tinha conseguido a qualificação para a competição, que iria ser disputada na Suécia, através da fase de qualificação, no entanto, por esta altura, havia começado a guerra civil na Jugoslávia, o que levou à desqualificação da seleção jugoslava e à promoção da Dinamarca. Com a chamada repentina dos dinamarqueses, os seus atletas tiveram que interromper as suas férias para se dirigirem à Suécia para disputar uma competição para a qual não se tinham preparado.

Na fase de grupos, a equipa orientada por Richard Møller-Nielsen terminou em segundo lugar com 3 pontos (uma vitória, que na altura só valia dois pontos, um empate e uma derrota) e seguiu para as semi-finais, em 1992 só exitiam dois grupos e avançavam duas equipas de cada.

Na penúltima fase da prova, a seleção dinamarquesa bateu a Holanda nos penáltis e garantia assim um lugar na final contra a poderosa Alemanha. Na final a Dinamarca apresentou um onze que contava com nomes como Peter Schmeichel e Brian Laudrup, que conquistou o troféu após uma vitória por duas bolas a zero.

Terminava assim um conto de fadas onde uma seleção que estava de férias chegou sem esperanças e tornou-se numa das melhores e mais surpreendentes histórias que este deporto tem para contar.

Fonte da imagem de capa: uefa.com