Özil recebe bónus de 9 milhões por “lealdade” ao Arsenal… não joga desde março

O caso mais problemático no plantel do Arsenal é sem dúvida Mesut Özil. O jogador é o segundo jogador mais bem pago do clube, mas está longe de ser o segundo (ou o terceiro, ou o quarto e por aí em diante) jogador mais influente na equipa.

Segundo o The Atletic, a absurdez da situação do jogador ganhou novas proporções quando o mesmo foi premiado pela sua lealdade ao clube, cláusula consagrada no contrato do atleta, no valor de 8,8 milhões de euros.

Recorde-se que o alemão, campeão do mundo pela Alemanha, não joga pelo clube desde março de 2020, sendo posto de parte por Mikel Arteta, que nem inscreveu o jogador na Liga Europa.

Aos 31 anos, esperava-se que o médio ainda estivesse a competir ao mais alto nível do futebol mundial, caso tivesse dado seguimento às suas exibições no Real Madrid e até mesmo nas primeiras temporadas no Arsenal.

Chegou aos gunners em 2013, na altura a contratação recorde do clube por 47 milhões de euros, tornando-se instantaneamente a estrela da equipa. A sua chegada simbolizava o desejo do Arsenal, na altura ainda ao comando de Wenger, de regressar ao topo do futebol inglês muitos anos depois.

O declínio de Özil por vezes era paralelo ao declínio do clube. Porém, numa fase de reerguimento e renovação sob Mikel Arteta, o alemão não faz parte dos planos, mas mesmo assim influencia o clube pelo seu “pesado” salário, pois nenhum emblema o cativou a sair, sendo que poucos estão dispostos a tentar suportar os seus enormes vencimentos.

Fonte da imagem de capa:@AFTVMedia

José Horta

Não nasci a gostar de futebol, mas quando comecei nunca mais quis outra coisa. Algarvio de nascença mas adepto do futebol para além daquele que se joga na praia. Sempre atento aos contornos e novidades do "Desporto Rei", "Beautiful Game" ou lhe quiserem chamar. Aluno universitário de Ciências da Comunicação na FCSH.