Curiosidades: Quando um apanha-bolas foi protagonista no Clássico

Os duelos entre o Sporting e o Porto são sinónimo de grandes jogos, golos e de muitos momentos insólitos. Um destes momentos ocorreu a 18 de outubro de 1975, quando, nas Antas, José Matos, antigo apanha-bolas do Porto, decidiu alterar o resultado da partida.

Estávamos na sétima jornada do campeonato português e os leões iam às Antas para defrontar os dragões. Ambas as equipas estavam em igualdade pontual no campeonato e tudo apontava para um jogo bem disputado e extremamente equilibrado.

No dia de jogo, o nevoeiro tomou conta da cidade do Porto. Chegou à hora marcada e o árbitro Alder Dante apitou para o início do duelo. Os leões começaram por cima e aos 15 minutos já venciam por dois golos, apontados por Chico e Manuel Fernandes.

Sem querer ficar para trás, o Futebol Clube do Porto arregaçou as mangas e diminuiu a desvantagem. Alfredo Murça fez o 1-2 e, após o golo, o jogo, que parecia estar a entrar num ritmo frenético, acalmou e as redes não abanaram mais na primeira parte.

Na segunda parte da partida, o nevoeiro continuou a marcar presença e intensificou-se. Dez minutos após o reinicio da partida, o Sporting estava por cima e ameaçava fazer o 1-3, no entanto, após uma recuperação de bola na defesa, o Porto partiu para um contra ataque rápido. Fernando Gomes, de cabeça, atirou ao lado da baliza dos leões; no entanto, José Matos, na altura apanha-bolas de 9 anos do FC Porto, agarrou rapidamente na bola que tinha sido cabeceada para fora e, num gesto rápido, meteu-a no fundo das redes de Vítor Damas. Os adeptos, sem se aperceberem bem do sucedido, sustinham a respiração enquanto esperavam a decisão do árbitro; os jogadores, naquela fração de segundos, também aguardavam pela decisão de Alder Dante. O árbitro, avaliou a situação, viu a bola na baliza e assinalou golo do Porto. Festa na equipa azul e uma enorme roda de jogadores verde e brancos à volta do árbitro.

José Matos tinha acabado de enganar o árbitro e havia sido o primeiro apanha-bolas a marcar um golo num clássico. Vítor Damas ora ralhava com o árbitro, ora ralhava com o apanha-bolas. Com todos os jogadores ainda chocados com o que tinha acabado de acontecer, o jogo acabou por prosseguir e a 15 minutos do fim o Sporting acabou por fazer o 2-3 final.

Só 34 anos depois, o célebre apanha-bolas José Matos revelou publicamente que, de facto, tinha sido ele a colocar a bola no fundo das redes leoninas.

Será que, na véspera do 45º aniversário deste acontecimento insólito, voltará a ocorrer um acontecimento que deixe tudo e todos boquiabertos no clássico? 

Fonte das imagens: Site do camaroteleonino.blogs.sapo.pt e do record.pt

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.