Real Madrid, Barcelona e Sevilha com jogos para esquecer na LaLiga

O dia de hoje marcou o regresso da LaLiga, com jogos a envolver os habituais quatro primeiros classificados do campeonato. No entanto, ninguém o diria, tendo em conta que apenas o Atlético de Madrid fez jus ao favoritismo na sua partida. Real Madrid, Barcelona e Sevilha, por sua vez, somaram derrotas frente aos seus adversários.

O Granada, com Rui Silva e Domingos Duarte a titulares, recebeu o Sevilha na primeira partida do dia, com os homens da casa a vencerem por um a zero. Os sevilhanos ficaram desfalcados mesmo antes do intervalo na sequência da expulsão de Jordan, que recebeu os dois cartões amarelos e o consequente vermelho no mesmo minuto. O golo decisivo da partida chegaria ao minuto 82´, com Yangel Herrera a cabecear de forma certeira para a baliza de Bono, o que viria a confirmar o triunfo do sétimo classificado do campeonato espanhol da época passada.

Fonte da imagem: Twitter @SevillaFC_ENG

O encontro que teve lugar de seguida foi o que opôs o Celta de Vigo e o Atlético de Madrid. A equipa de João Félix sorriu na viagem a Vigo, com uma vitória por dois a zero. O primeiro tento da partida chegou logo no início da partida, com Luis Suaréz a inaugurar o marcador após passe do jovem Manuel Sanchéz. João Félix entrou ao minuto 50´e foi instrumental no segundo e final golo da partida. No seguimento de um canto curto, o jovem avançado fez um autêntico “chapéu” a dois jogadores do Celta e ainda disparou com toda a força para a baliza de Ivan Villar, mas acertou na barra. Quem agradeceu o esforço de Félix foi Yannick Carrasco, que se encontrava no sítio perfeito para aproveitar o ressalto do remate do português para finalizar o lance, que ocorreu no último minuto da partida.

Fonte da imagem: Twitter @LuisSuarez9

Já o Real Madrid foi surpreendido em casa pelo recém-promovido Cádiz, saindo derrotado por uma bola. Lozano bateu Courtois aos 16´, num golo que viria a ser decisivo para a vitória da equipa visitante. Os merengues, apesar de terem terminado com 75 por cento de posse de bola, não tiveram um dia muito inspirado no capítulo da finalização, tendo terminado a partida com somente dois remates à baliza, inferiores aos cinco efetuados pelos homens do Cádiz. Mais uma ocasião onde a velha máxima “a posse de bola não vence jogos” ganhou vida.

Fonte da imagem: Twitter @realmadrid

O último encontro do dia foi entre o Getafe e o Barcelona, com os culés a saírem derrotados por uma bola. O único tento foi apontado por Jaime Mata, com o médio a não desperdiçar uma grande penalidade frente a Neto. O ataque blaugrana, à semelhança do madridista, também foi alvo de uma noite para esquecer, com Messi, Griezmann, Dembelé e ainda Ansu Fati, Coutinho, Braithwaite e o português Trincão (entrou aos 80 minutos), que entraram na segunda parte, a serem incapazes de perfurar as redes dos homens da casa, apesar do Barça também ter dominado a posse de bola a seu belo prazer.

Fonte da imagem: Twitter @fcbarcelona_br

Quatro jogos e três surpresas neste dia de encontros na liga espanhola. Os resultados de hoje foram mais uma demonstração de que no futebol são onze contra onze e quem marcar mais golos ganha. Real Madrid, Barcelona e Sevilha saíram derrotados das suas partidas e vão procurar recuperar rapidamente a sua forma, isto porque a próxima semana traz consigo a primeira jornada da Champions League.

Recorde-se que o o Barcelona defronta o Ferencváros na terça-feira, mesmo dia em que o Sevilha vai a Stamford Bridge para se bater frente ao Chelsea. O Real tem encontro marcado com o Shakhtar Donetsk no dia 21, tal como o Atlético, que viaja até à Alemanha para defrontar o Bayern.

Fonte da imagem de capa: Twitter @MessiLeoBrasil

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.