Crónica: Manchester City vs FC Porto – dragões aguerridos mas insuficientes

Na primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, os pupilos de Sérgio Conceição viajaram até terras de sua majestade para defrontar o todo poderoso Manchester City de Rúben Dias, Bernardo Silva e João Cancelo.

Frente ao gigante inglês, os portistas entraram sem medo e por várias vezes assustaram os adversários, que tiveram dificuldades em controlar o meio-campo face à superioridade física dos campeões portugueses.

Apesar dos “citizens” terem praticamente a exclusividade da posse de bola ( 65% contra 35 % ), foi o FC Porto a ter mais tentativas de golo e remates à baliza.  O jogo estava dividido, com a sorte a puder sorrir para qualquer um dos clubes.

Acabou por ser a equipa portuguesa a inaugurar o marcador, com Luis Diaz a bater Ederson aos 14 minutos de jogo.

Uma entrada espetacular no encontro que viria a ser anulada apenas 7 minutos depois. Penálti polémico cometido por Pepe sobre Sterling (anteriormente aparenta haver falta sobre Marchesín na área) que Agüero não desperdiçou.

21 minutos e já 1-1 no marcador.

O Porto manteve a mesma intensidade durante o período restante dos primeiros 45 minutos, fazendo uma exibição consistente e segura defensivamente contra uma equipa com pouca inspiração no último terço do terreno.

Contudo, a segunda-parte foi o completo oposto do que se viu até então.

O Manchester City regressou do intervalo determinado em impedir uma surpresa no Etihad Stadium e assumiu o controlo da partida.

Os “dragões” foram encostados ao setor defensivo e foram incapazes de se aproximarem da baliza de Ederson durante grande parte do segundo tempo.

A pressão cada vez mais sufocante dos comandados de Guardiola quebrou por completo qualquer hipótese de uma gloriosa noite europeia para Portugal, primeiro num livre indefensável de Gundogan aos 65 minutos e, pouco tempo depois, por Ferrán Torres já perto dos últimos 15 minutos de jogo.

No final, prevaleceu a qualidade atacante avassaladora da equipa composta por algumas das maiores estrelas do desporto – rei.

Com esta derrota por 3-1, o FC Porto soma o terceiro jogo seguido sem ganhar, depois da derrota frente ao Marítimo e do empate no clássico com o Sporting.

Apesar do resultado negativo, é de salientar a atitude dos jogadores portistas que enfrentaram o adversário olhos nos olhos e que por momentos deram a entender que poderiam agarrar a primeiro lugar do grupo com um estrondo.

Fonte da imagem: FC Porto Twitter/@FCPorto