A Champions League voltou, com jogos para todos os gostos

A Champions League 2020/2021 arrancou oficialmente. Os grupos tiveram direito aos seus jogos inaugurais, com várias equipas que sonham com a conquista da “orelhuda” e, claro, muitas estrelas em ação.

A Juventus enfrentou o Dínamo de Kiev no final da tarde de terça-feira, saindo da Ucrânia com uma vitória por dois a zero. A Vecchia Signora, que ainda não pôde contar com Cristiano Ronaldo devido ao jogador ainda se encontrar em isolamento após ter testado positivo à Covid-19, começou a adiantar-se no marcador logo a seguir ao intervalo, com Morata a aproveitar um remate de Kulusevski que ressaltou na trave para colocar a bola dentro da baliza adversária. O mesmo Morata haveria ainda de selar o resultado final a cinco minutos do fim da partida, no seguimento de uma bola em profundidade lançada por Cuadrado. Um começo positivo, assim, para os pupilos de Andrea Pirlo na deslocação à Europa do Leste.

Fonte da imagem: Twitter @juventusfc

Após o triunfo italiano, o Barcelona entrou em campo sabendo que teria de vencer a sua partida para igualar a equipa de Ronaldo no topo do grupo. Foi isso mesmo que os culés fizeram, ao golear os húngaros do Ferencváros por cinco a um em Camp Nou. Leo Messi começou a construir a vantagem na partida com a conversão de uma grande penalidade aos 27´. Ansu Fati, assistido por de Jong, ampliou o resultado pouco antes do apito para o intervalo, ao qual se seguiu um tento de Coutinho aos 52 minutos.

Aos 68 minutos, Gerard Piqué foi expulso, após agarrar a camisola de um jogador adversário na sua grande área, sendo ainda marcado o castigo máximo. Igor Kharatin converteu com sucesso a partir da marca dos onze metros, mas o Barcelona não estava para brincadeiras. Aos 82´, Ousmane Dembelé serviu Pedri para fixar os quatro a um, havendo ainda tempo para o próprio francês inscrever também o seu nome na lista de marcadores, a passe de Messi. Cinco golos depois, o Barcelona saía do seu estádio de sorrido estampado, após um trabalho bem-sucedido.

Fonte da imagem: Twitter @fcbarcelona_br

O encontro de cartaz do dia 20 opôs o PSG ao Manchester United. A equipa inglesa, capitaneada por Bruno Fernandes, viajou até ao Parque dos Príncipes e saiu de lá com os três pontos, para alívio de Solksjaer. O capitão do Man. United, à segunda tentativa (após Navas defender o primeiro penálti, mas adiantar-se no processo, levando à repetição do mesmo), bateu o guardião parisiense a partir da marca dos onze metros, no seguimento de uma falta de Abdou Diallo na grande área.

Aos 55 minutos, Neymar bateu um pontapé de canto que Martial tentou aliviar, lance que lhe correu muito mal, com o avançado a cabecear a bola para dentro da própria baliza, igualando o marcador. Quando tudo apontava para que a partida terminasse empatada, Marcus Rashford selou a vitória dos red devils com um pontapé que só parou no canto inferior esquerdo da baliza da equipa de Danilo Pereira, que se estreou a titular pela turma de Paris. Capitão Bruno e companhia começam, assim, a sua campanha na Champions League da melhor forma.

Fonte da imagem: goal.com

O dia de quarta-feira começou com uma surpresa para os lados de Madrid. Luís Castro levou a melhor sobre Zidane, com os ucranianos do Shakhtar Donetsk a vencerem o Real Madrid por três a dois no Santiago Bernabéu. A primeira parte foi completamente catastrófica para a turma da capital espanhola, com os madrilenos a sofrerem três golos nos primeiros 45 minutos. Tete inaugurou o marcador  mesmo antes da marca da meia hora de jogo, seguindo-se um auto-golo de Varane quatro minutos depois. Aos 42´, foi a vez de Manor Solomon consumar o terceiro golo dos visitantes com um remate rasteiro ao canto inferior esquerdo da baliza de Courtois.

Após o intervalo, os homens da casa tinham uma tarefa árdua pela frente e não decidiram esperar muito para pôr mãos à obra. Aos 54 minutos, Luka Modrić reduziu a desvantagem na partida com um remate à entrada da área adversária, após um passe de Marcelo. Vinicius Junior foi o homem de destaque, cinco minutos depois, com um lance individual que culminou num remate potente que só parou no fundo das redes da equipa ucraniana. No entanto, ambos os tentos viriam a ser insuficientes para os objetivos da turma de Zinedine Zidane, que saiu derrotada no seu próprio terreno às mãos dos pupilos do ex-técnico do Vitória SC, Luís Castro.

Fonte da imagem: Twitter @lnstantFoot

O Liverpool enfrentou o Ajax em Amesterdão, com os reds a vencerem os holandeses por uma bola a zero. O golo decisivo foi apontado por Tagliafico, que infelizmente para si, desviou a bola para dentro da própria baliza. O infortúnio do jogador argentino aos 35 minutos acabou por ser o suficiente para a turma de Klopp iniciar o seu percurso na Champions da melhor maneira, com três pontos somados.

Já o campeão europeu também começou o seu caminho na nova edição da competição em festa, após uma goleada aplicada sobre o Atlético de Madrid por quatro a zero. Coman inaugurou o marcador aos 28 minutos e assistiu aos 41´o colega de equipa, Leon Goretzka, para levar uma vantagem de dois golos ao intervalo. A equipa de João Félix, que começou a titular na partida e teve um golo anulado por fora de jogo pelo VAR, ainda haveria de sofrer mais dois golos na segunda parte, com Tolisso (66´) e Coman, outra vez, a marcarem os golos que confirmaram uma vitória confortável da equipa da casa. O Bayern não mostra sinais de querer abrandar o ritmo com que terminou a época passada na Champions League, edição na qual a equipa bávara conquistou o prestigiado troféu.

Fonte da imagem: Twitter @FCBayern

O FC Porto viajou até Manchester para defrontar o Man. City de Guardiola, numa partida que terminou com a vitória dos citizens por três a um. A equipa de Sérgio Conceição surpreendeu a equipa inglesa aos 14 minutos, altura em que um passe errado de Rúben Dias originou uma autêntica arrancada de Luis Díaz que, num bela jogada individual, contornou a defensiva adversária e bateu Ederson. Os citizens responderam ao golo portista pouco tempo depois, com Sergio Agüero a converter uma grande penalidade frente a Marchesín, depois de um lance onde Pepe derrubou Sterling na grande área, apesar de os dragões terem reclamado de uma alegada falta dos ingleses anterior ao penálti cometido.

Na segunda parte, um livre batido por Gündoğan aos 65´ só parou no fundo da baliza portista, com Ferrán Torres a estabelecer o resultado final aos 73 minutos com um golo que mereceu aplausos por parte do seu treinador. O Porto somou assim um desaire no seu primeiro encontro desta edição da Champions League, com a equipa do Manchester City a conseguir deixar os três pontos em Etihad.

Fonte da imagem: Twitter @geglobo

Chegou, desta forma, ao fim a primeira jornada da fase de grupos da Champions League, com algumas surpresas à mistura e muito espetáculo para apreciar. A turma do FC Porto vai esperar por um melhor resultado no seu próximo encontro, em casa, frente ao Olympiakos no dia 27 de outubro, após a derrota sofrida às mãos do Manchester City. Os restantes clubes que participam na principal competição europeia a nível de clubes voltarão, assim, na próxima semana, com mais encontros entusiasmantes em perspetiva.

Fonte da imagem de capa: Twitter @ChampionsLeague

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.