Minhotos entram com o pé direito na Europa

Um jogo emocionante por parte do Braga marcou a estreia nesta nova edição da Liga Europa com uma vitória por três bolas contra os gregos do AEK. Partida esta, que fica também marcada pelo regresso dos adeptos à Pedreira, de onde saíram com certeza felizes, depois dos primeiros pontos conquistados nesta competição.

Numa atmosfera totalmente diferente daquela que os jogadores têm vivido, com jogos sem adeptos, foi nesta partida que os arsenalistas se voltaram a fazer ouvir nas bancadas de casa a apoiar o Braga. A primeira parte foi totalmente dominada pelo Braga sem grandes chances de perigo dos gregos que pouco tinham a fazer contra as arrancadas e transições rápidas dos Bracarenses. O AEK mostrava grandes dificuldades em sair em jogar e o típico “chutão para a frente” a partir da defesa era a melhor maneira de por a bola no meio campo da equipa portuguesa. Contudo, o aniversariante da noite, Galeno acabou por cabecear uma bola que vinha teleguiada para a sua cabeça, saída dos pés de Esgaio e acabou por faturar o primeiro aos 44′,  dando assim uma vantagem justa à equipa da casa na ida para intervalo.

O segundo tempo acabou por vir e o Braga apareceu sonolento, o que se refletiu em duas oportunidades de golo para os gregos, de bola parada que ainda assustaram o guardião da casa. O Braga acabou por acordar e tomar as rédeas do jogo novamente, controlando o ritmo do mesmo. Nelson Oliveira, o matador do AEK acabou mesmo por fazer tremer a equipa e os adeptos dos minhotos, quando rematou à malha lateral já com Mateus completamente batido. Em reposta aos lances de perigo dos gregos o Braga acabou por faturar mais um, desta vez pelos pés de Paulinho aos 78′ e exatamente 10 minutos depois, Ricardo Horta fechou o marcador em três tentos a zero para os portugueses.

A equipa minhota entrou a ganhar e ocupa o segundo lugar do Grupo G, com os mesmos pontos e golos do primeiro classificado, o Leicester.

 

Fonte da imagem: Twitter SC Braga

Emanuel Brasil

Nasci na cidade mais alta de Portugal e foi aqui que comecei a dar os primeiros toques no mundo da bola e a acompanhar os mesmos com a escrita que dá brilho ao jogo fora das quatro linhas. Com a bola de um lado e a caneta do outro, acabei por me licenciar em Ciências da Comunicação na UBI e onde tiro agora, o mestrado em jornalismo.