Golo de Evanilson garante vitória a dragão pouco eficaz

Regresso do Porto ao campeonato, após jornada europeia. Os dragões receberam em casa os gilistas em jogo a contar para a 5ª jornada da Liga Portuguesa.

Sérgio Conceição manteve Marchesin na baliza, alinhou com uma defesa composta por Manafá, Mbemba, Pepe e Zaidu, no meio campo Corona na direita, Uribe e Fábio Vieira no centro e Nakajima na esquerda e na frente de ataque, duas caras novas do dragão, Toni Martinez e Evanilson. Do outro lado, a equipa de Barcelos começou com Denis entre os postes, Talocha, João Afonso, Rodrigo e Joel no setor mais recuado do terreno, Rúben Fernandes, Lourency, Gonçalves e Samuel Lino no miolo e no ataque Nogueira e Leauty.

Inicio do jogo em falso para os dragões que, apesar de terem mais bola, não foram capazes de criar ocasiões de perigo, ao contrário do que acontecia com os gilistas, que com menos posse, criavam mais perigo. No entanto, um pouco antes da meia hora de jogo, o Porto “acordou” e, sempre soube a batuta de Tecatito Corona, conseguiu criar três ou quatro ocasiões de perigo que colocaram os azuis e branco muito perto da vantagem.

A vantagem acabou mesmo por chegar perto do minuto 40, acabando assim por recompensar o crescimento portista no jogo. Corona desmarca Zaidu, que toca para o japonês Nakajima na área, onde tem tempo e espaço para levantar a cabeça e colocar no pé de Evanilson, que só teve de encostar para abrir o marcador no Dragão. O brasileiro, que já tinha atirado ao poste, estreou-se assim a marcar pelo Porto.

Os dragões iniciaram a segunda parte como acabaram a primeira, por cima. Várias ocasiões de golo até que, Romário Baró (recém entrado para o lugar de Toni Martinez) rematou a bola contra o braço do defesa gilista e foi assinalado penálti. Dos 11 metros, Denis levou a melhor no frente-a-frente com Matheus Uribe.

As oportunidades de golo para os dragões multiplicavam-se mas o resultado não alterava. Ao minuto 73, Zaidu leva o duplo amarelo após uma entrada sobre Joel e o Porto fica reduzido a dez unidades. Com mais um, o Gil Vicente voltou a acreditar e a subir linhas; teve mais bola, mas não conseguiu traduzir essa posse em golos, o que fez com que o jogo acabasse mesmo por ficar 1-0.

O Futebol Clube do Porto voltou às vitórias num jogo onde demorou a entrar nos eixos, no entanto, quando entrou, demonstrou ser superior aos gilistas e fez por merecer a vitória. Do outro, a equipa de Barcelos demonstrou ser uma equipa sólida e bastante confiante nos seus processos, esteve, a espaços, melhor que o Porto, no entanto, sempre que os dragões aumentavam a intensidade, os gilistas não conseguiam acompanhar.

Fonte da imagem: Twitter Oficial FC Porto

Alexandre Ribeiro

Nascido e criado na ilha Terceira, nascido e criado para o futebol. Desde cedo aprendi, vivi e vibrei com o desporto rei. A licenciar-me em Ciências da Comunicação na FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Com o futebol e a escrita espero proporcionar um espectáculo fora das 4 linhas para todos aqueles que partilhem o gosto pela bola e pelos seus artistas.