Luís Filipe Vieira faz revelações exclusivas em véspera de eleições na Luz

As eleições presidenciais no Benfica vão ter lugar na próxima quarta-feira, dia 28 e Luís Filipe Vieira aproveitou uma entrevista concedida ao jornal A Bola para abordar os temas mais recentes do universo benfiquista. 

O primeiro tópico que o candidato a novo mandato no Benfica abordou foram os problemas com a justiça portuguesa que atualmente enfrenta, com LFV a afirmar que se encontra de consciência tranquila e que acredita num desfecho favorável no Tribunal. “Se não fosse presidente do Benfica, não teria um processo. De certeza. Agora, a única coisa que quero garantir é que não se fazem julgamentos de pessoas em televisões nem jornais. É nos tribunais. Acredito na Justiça”, declarou, acrescentando ainda que a revitalização do emblema encarnado nos últimos anos foi alcançada através de um trabalho árduo e que “deviam fazer um estudo para saber como foi possível em menos de 20 anos recuperar este clube como recuperámos, ter o património que temos e pago”.

O líder máximo das águias aproveitou ainda para responder aos críticos que o acusam de manipular o futebol em Portugal. “O dono disto tudo? Um diz que sou dono do Benfica, outro diz que domino o futebol português. Domino o futebol português, veja bem como é que é possível? É inveja e ódio puro. Compreende? Ódio. Eles não têm capacidade de fazê-lo. E têm lá o título de doutor. Isso é que é o problema deles, desses senhores que aparecem.”

O tópico que se seguiu foi a sucessão de Rui Vitória no comando técnico do Benfica, na qual Vieira informou que Jorge Jesus era a escolha prioritária para o cargo, acabando por ser Bruno Lage a comandar os encarnados após o técnico oriundo da Amadora ter recusado a abordagem de Vieira. “Sei a conversa que tive com Jesus. Disse ao Jorge: ‘Se nós fizermos alguma alteração, tu serás o nosso treinador’. Aliás, deixe-me dizer, quando chamo o Bruno Lage, quando ele entra, se o Jorge tem dito que sim, na altura, não seria o Bruno Lage. Agora, quando o Bruno Lage entra já não era capaz de tirá-lo de lá. Isso acabou. O Bruno era para fazer um jogo, depois o Jorge disse que não. Era o Jorge que estava pensado, vamos ser claros nisto”, revelou.

A aposta na formação foi ainda a tempo de ser discutida, com Luís Filipe Vieira a informar que terá rejeitado uma proposta de 30 milhões por Gonçalo Ramos no mercado passado. “O Gonçalo pode ser outra referência do Benfica. Já basta termos sido eliminados da Liga dos Campeões e… praticamente a situação do Rúben Dias. Porque, se tivéssemos sido apurados, de certeza que ele não teria saído assim”, referiu, não revelando qual o clube que terá efetuado a proposta pelo avançado do Benfica.

A saída de Tiago Dantas para o Bayern de Munique por empréstimo com opção de compra foi o tema final da entrevista, com Vieira a considerar que os adeptos benfiquistas não estão preocupados com o valor da mesma. “Acho que os benfiquistas não estão nada preocupados (com o valor da cláusula de compra). Um jogador que era suplente da equipa B, ele próprio disse que não era opção do treinador. O que é que quer fazer a um jovem que tem 15 anos de Benfica? Quer dizer o quê? Ficas cá?”, questionou, deixando por confirmar o valor concreto que o emblema bávaro terá que pagar ao Benfica caso avance para a contratação definitiva do jovem médio.

Fonte da imagem de capa: tribunaexpresso.pt

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.