Quem te viu e quem te vê… Nélson Oliveira

Esta semana o “Quem te viu e quem te vê” foca-se na carreira de Nélson Oliveira, um jogador que em tempos foi visto como o futuro da posição nove da Seleção Nacional, mas que acabou por defraudar as expetativas de muitos adeptos e analistas, com o jogador a acumular uma carreira com vários empréstimos em campeonatos europeus, sem nunca se conseguir afirmar.

Nélson Miguel Castro Oliveira, nascido em Barcelos, fez formação no Braga e Benfica, chegando aos 17 anos à equipa principal dos encarnados na época 2008/2009. A forte concorrência e qualidade dos avançados das águias, que tinham nas suas fileiras nomes como Óscar Cardozo, Nuno Gomes e David Suazo (e ainda Pedro Mantorras e Makukula à sua frente na hierarquia) fizeram com que o jovem ficasse sem figurar em qualquer encontro.

Fonte da imagem: publico.pt

No entanto, a crença no seu futuro era muita, com o Benfica a decidir emprestar o jogador na época seguinte para uma equipa da Primeira Liga, onde este tivesse oportunidade de se mostrar. O clube que lhe abriu as portas foi mesmo o Rio Ave. A experiência acabou por não lhe correr de feição, com Nélson a figurar em apenas 12 partidas, sem conseguir apontar qualquer golo em 2009/10. No ano seguinte, o clube da Luz concedeu-lhe mais um empréstimo em solo português, desta vez por meio do Paços de Ferreira, clube onde o avançado já desfrutou de uma utilização mais regular e, mais importante ainda, de golos. Com a camisola dos castores, que viveram uma época de grande sucesso que culminou com o sétimo lugar na classificação final, Nélson (na altura ainda com 19 anos) apontou cinco golos num total de 31 jogos disputados.

Fonte da imagem: maisfutebol.iol.pt

Devolvido à equipa-mãe, e mesmo após uma época onde, mais uma vez, não conseguiu afirmar-se como opção regular no Benfica (22 jogos e três golos), Nélson Oliveira era visto como um jogador que poderia ser útil à equipa das Quinas, que tinha o Europeu 2012 em perspetiva e estava com uma verdadeira problemática na posição do ponta de lança devido às únicas opções disponíveis serem Hugo Almeida e Hélder Postiga, que também vinham de temporadas pouco conseguidas. Oliveira figurou mesmo nas escolhas de Paulo Bento para a competição, conseguindo figurar em três encontros na fase de grupos e ainda nas meias-finais em que os portugueses haveriam de ser derrotados por Espanha nas grandes penalidades, ficando em branco nas quatro aparições.

Fonte da imagem: clubedosfanaticos.wordpress.com

2012 poderá mesmo ser considerado o melhor ano da carreira de Nélson Oliveira. A aposta no jogador foi vista como o começo de um percurso a longo prazo na seleção portuguesa, algo que não viria a acontecer. Após o Europeu, o jogador foi emprestado ao Deportivo de la Coruña, que na época 2012/13 militava no principal escalão espanhol. Apesar da utilização regular (31 jogos), a produtividade do avançado não a acompanhou, com o jogador a apontar apenas quatro golos. Isso viria a ser um padrão recorrente nas épocas de Nélson Oliveira enquanto este esteve ligado contratualmente ao Benfica, com os encarnados a emprestarem o jogador época após época em clubes de ligas de renome, em que o mesmo foi aposta dos treinadores, mas não conseguiu corresponder dentro das quatro linhas. Desta forma seguiram-se épocas mal conseguidas em que Oliveira alinhou pelos franceses do Rennes (2013/14), Swansea City ( em 2014/15, quando o clube competia na Premier League) e Nottingham Forest (2015/16, no Championship).

Em 2016, o Benfica “desistiu” oficialmente do avançado. Nélson foi vendido aos ingleses do Norwich, clube que militava na segunda divisão inglesa e por aí permaneceu durante três anos, desfrutando de uma utilização regular nas duas primeiras épocas no clube, com um saldo de 70 partidas e 20 golos apontados.

Fonte da imagem: terceiroanel.blog

Em 2018/2019 foi emprestado ao Reading, onde quase não jogou e no fim da temporada o avançado decidiu mudar, de novo, de país. O novo destino foi a Grécia, mais concretamente o AEK de Atenas, clube onde o avançado permanece até aos dias de hoje. Apontou 16 golos na época passada e já participou em sete partidas na presente temporada, com um tento apontado até ao momento pelo clube que é adversário do Sporting de Braga na fase de grupos da Liga Europa.

Fonte da imagem: Twitter @AEK_FC_OFFICIAL

Um jogador que sofreu muito com os sucessivos empréstimos sem sucesso e que, quiçá, terá sucumbido à pressão gerada a partir de 2012 acerca do que poderia oferecer ao seu país em contexto internacional. Nélson Oliveira, hoje com 29 anos, saberá que muito dificilmente irá adicionar mais internacionalizações pelo seu país do que as 17 que já tem. Desfrutou de uma carreira com aparições nos principais campeonatos de Portugal, Espanha, França e Inglaterra, apesar do pouco rendimento que obteve nesses períodos. De ser visto como o próximo grande ponta de lança de Portugal para um jogador que alinhou em equipas da segunda divisão inglesa e em campeonatos fora do top-5 no auge da sua carreira, Nélson Oliveira é o clássico exemplo de como o “pedestal” em que os jovens jogadores são colocados aos olhos do público tão rápido sobe como cai.

Fonte da imagem de capa: dominiodebola.com

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.