Muitos sorrisos portugueses na segunda jornada da Champions League

Esta semana trouxe consigo a segunda jornada da Liga dos Campeões, com muitos encontros empolgantes em perspetiva para o ávido adepto. A segunda jornada da mais cobiçada competição de futebol a nível europeu sorriu em especial aos portugueses participantes, com várias caras conhecidas em destaque nos triunfos das suas equipas.

O primeiro grande jogo a ter lugar foi o encontro do grupo A que opôs o Lokomotiv de Moscovo e o Bayern de Munique, com o bávaros a vencerem na Rússia por duas bolas a uma. Um cruzamento de Pavard para a cabeça de Goretzka foi a chave para o primeiro tento da partida, que haveria de ser o único na primeira parte. Após o intervalo, os russos haveriam de empatar a partida, com Anton Miranchuk a bater Neuer no um para um. A dez minutos do fim, Joshua Kimmich selou a vitória dos visitantes através de um remate colocado que só terminou no fundo das redes dos homens da casa. O campeão em título somou desta forma a sua 13ª vitória consecutiva na Champions.

Fonte da imagem: Twitter @FCBayern

No mesmo grupo, o Atlético de Madrid recebeu o Red Bull Salzburgo, com a equipa de João Félix a sorrir com um triunfo por três a dois, muito graças à grande exibição do ex- Benfica. Os colchoneros até começaram a vencer o jogo, na sequência de um remate com selo de golo protagonizado por Marcos Llorente, no entanto, o médio Szoboszlai, de apenas 20 anos, empatou a partida mesmo antes do intervalo.

Logo após o regresso do intervalo, Berisha consumou mesmo a reviravolta para os austríacos e Diego Simeone via-se em apuros. E foi mesmo o internacional português que se mostrou determinante, empatando a partida pouco depois do tento de Berisha, a passe de Correa. A cinco minutos dos noventa, Félix foi ainda mais decisivo, aproveitando uma bola perdida no meio da área da equipa visitante e selando o triunfo da sua equipa. Destaque ainda para um pontapé de bicicleta que Félix protagonizou aos 14 minutos, que bateu com estrondo na barra da baliza de Stankovic, mas que se tivesse entrado, teria sido “a cereja no topo do bolo” numa exibição do jogador que, de qualquer das formas, foi de gala.

Fonte da imagem: Twitter @Atleti

Os outros portugueses que acabaram de sorriso na cara foram os do FC Porto, com a equipa da Invicta a vencer o Olympiacos por dois a zero no Estádio do Dragão. Fábio Vieira estreou-se a marcar na Champions League ainda na primeira parte, com Sérgio Oliveira a selar o triunfo dos dragões a cinco minutos do final, após um cruzamento teleguiado de Marega. Os portistas confirmaram desta forma o seu centésimo triunfo oficial na Liga dos Campeões e os primeiros três pontos na presente edição da competição milionária.

O outro encontro do grupo da turma de Sérgio Conceição resultou na vitória do Manchester City no terreno do Marselha por três tentos sem resposta. Ferrán Torres começou a construir a vitória dos citizens na primeira parte, com os outros dois golos a surgirem na fase final da partida, com Gündoğan a bater Mandanda com um remate à curta distância e Raheem Sterling, a dez minutos do fim, a confirmar o triunfo da equipa de Manchester, após ser assistido por de Bruyne. Seis pontos somados para a turma de Bernardo Silva, Rúben Dias e João Cancelo, com o trio português a marcar presença na partida, apesar de apenas Dias ter sido titular.

Fonte da imagem: Twitter @ManCityPT

O Real Madrid, após ter vencido o El Clasico no fim de semana, sofreu novo percalço na prova milionária. Os merengues empataram a duas bolas na visita ao Borussia Monchengladbach após terem sido derrotados em casa pelo Shakhtar na jornada anterior. A equipa de Zidane chegou a estar a perder por dois a zero, após um bis de Marcus Thuram mas os instantes finais da partida foram decisivos para a turma visitante. Benzema e Casemiro ainda foram a tempo de evitar nova derrota, com dois tentos num espaço de seis minutos de jogo. O Real, ainda assim, quererá melhorar os seus resultados rapidamente, encontrando-se na última posição do seu grupo, com apenas um ponto somado até ao momento.

Houve ainda outro português que desfrutou de bons motivos para festejar. O Liverpool recebeu o Midtjylland, da Dinamarca, vencendo o confronto por dois a zero com Diogo Jota em grande destaque. O internacional português inaugurou o marcador para os reds na segunda parte, selando o tento número 10000 da história do clube inglês. Na compensação dos noventa, Salah ainda dispôs de uma grande penalidade, convertida com sucesso pelo internacional egípcio. Segunda vitória no segundo jogo da turma de Klopp, que lidera desta forma o Grupo D.

Fonte da imagem: Twitter @LFCBrNews

O dia de quarta-feira trouxe mais confrontos interessantes. O PSG saiu triunfante de Istambul, após um jogo em que venceu o Basaksehir por dois a zero, com Danilo Pereira a não sair do banco de suplentes. Um bis de Moise Kean chegou e bastou para selar os três pontos para a equipa parisiense, que somou desta forma a primeira vitória na competição após a derrota frente ao Manchester United na jornada inaugural.

Também o Chelsea confirmou o favoritismo frente aos russos do Krasnodar, com um triunfo por quatro a zero. Jorginho falhou uma grande penalidade no primeiro quarto de hora de jogo, com Callum Hudson- Odoi a compensar com um golo mesmo antes do intervalo. Timo Werner foi quem assumiu a marcação de novo castigo máximo assinalado à equipa da casa, não tremendo perante o guardião do Krasnodar. Ziyech, três minutos depois, consolidou o terceiro golo dos ingleses comandados por Lampard e Pulisic, aos noventa, confirmou os números de uma goleada que coloca os blues no topo do seu grupo, em igualdade pontual com o Sevilha.

Fonte da imagem: Twitter @ChelseaFC

O Manchester United, com Bruno Fernandes a ser suplente utilizado, goleou de forma categórica o Leipzig por cinco a zero em Old Trafford. Greenwood, assistido por Pogba, inaugurou o marcador ainda na primeira parte, no que seria o único golo dos primeiros 45 minutos. Na segunda parte o United pôs o pé no acelerador e os golos vieram com fartura. Rashford, assistido por um recém-entrado Bruno Fernandes, marcou o segundo golo dos homens da casa, ao qual se seguiu novo tento do avançado inglês quatro minutos depois. Numa altura em que Cavani também já estava em campo, foi a vez de Martial inscrever o seu nome na lista de marcadores, na sequência de uma grande penalidade e cinco minutos depois, Rashford consolidou mesmo o hattrick, assinalando o quinto e final golo dos red devils na partida.

O encontro cartaz da jornada opôs a Juventus e o Barcelona. O jogo teria sido mais especial ainda se Cristiano Ronaldo não tivesse fora das contas de Pirlo devido a ter testado novamente positivo para a Covid-19, com um possível reencontro contra Messi a ter que ficar para a próxima. O jogo, ainda assim, tinha vários motivos de interesse para os adeptos, e em muitos aspetos, não desiludiu. O Barça saiu com os três pontos de Itália, com uma vitória por dois a zero contra um conjunto de Turim que ficou reduzido a dez nos últimos cinco minutos da partida, momento em que Demiral viu o segundo amarelo e foi expulso do campo. Ousmane Dembelé, assistido por Messi, começou a construir a vantagem culé na passagem do quarto de hora de jogo. Após o tento, Morata viu três golos serem-lhe retirados por posição irregular, para frustração do avançado espanhol. Após a expulsão do central da Juve, houve ainda tempo para Lionel Messi também abanar as redes da baliza da equipa da casa, no seguimento de uma grande penalidade convertida com sucesso pelo astro argentino. A equipa de Francisco Trincão, que não saiu do banco de supentes, passa a liderar desta forma o grupo G, com seis pontos somados.

Fonte da imagem: Twitter @FCBarcelona

Terminou assim a segunda ronda de jogos grandes da Liga dos Campeões, onde vários portugueses desfrutaram de noites de sonho dentro das quatro linhas. A terceira jornada da prova terá lugar na próxima semana, nos dias três e quatro de novembro, com vários confrontos de interesse no horizonte. Destaque para o FC Porto, que na terça-feira, vai receber o Marselha no Estádio do Dragão, encontro que vai resultar num reencontro entre André Villas-Boas e os azuis e brancos.

 

 

Fonte da imagem de capa: Twitter @UEFAcom_pt

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.