Os “lobos” portugueses venceram e convenceram

Os Wolves entraram melhor do que o Crystal Palace e ameaçaram logo aos 8 minutos através de um bom remate de Daniel Podence. Depois disso, o ponta de lança do Crystal Palace, o belga Michy Batshuayi chegou a introduzir o esférico na baliza adversária, mas o golo foi anulado por fora de jogo.

Com naturalidade, o Wolverhampton chegou ao primeiro golo através do franco-argelino Ait-Nouri, que fez um bom remate com o seu pé esquerdo e festejou o seu primeiro golo ao serviço dos Wolves logo no seu primeiro jogo oficial em Inglaterra.

Os “lobos” continuavam a criar situações de perigo e Dendoncker fez ao minuto 24 um remate espetacular a barra. Passados 3 minutos, Podence marcou após uma assistência de Pedro Neto. Os dois extremos estavam a brilhar no jogo.

Na segunda parte continuou o domínio dos Wolves, com os portugueses em destaque pela positiva. O Crystal Palace estava sem ideias e não conseguia criar perigo na área adversária, enquanto que os jogadores do Wolverhampton iam tendo algumas oportunidades para matar o jogo, mas estava a faltar eficácia aos homens de Nuno Espírito Santo.

Aos 81 minutos, Milivojevic fez uma entrada muito dura no meio campo sobre João Moutinho (que entrou na segunda parte substituindo Pedro Neto) e o árbitro deixou seguir o lance. Quando o jogo parou, o árbitro foi ao VAR e expulsou o jogador do Crystal Palace.

O jogo acabou 2-0 para os Wolves, sem golos na segunda parte. Nota para os sete portugueses que jogaram este jogo, todos do lado do Wolverhampton. Foram titulares, Daniel Podence, Pedro Neto, Nélson Semedo, Rúben Neves e Rui Patrício. Na segunda parte entraram João Moutinho e Fábio Silva. A armada portuguesa continua a encantar em terras de sua majestade.

 

Foto da imagem de capa: Twitter @Wolves

Fabio Mikael

Sou um apaixonado pelo desporto rei. Além disso, gosto muito de escrever e faço isso com paixão. Poder aliar às duas coisas, é fantástico, e estamos aqui para fazer crescer este jornal online cada vez mais.