Pandemia da Covid-19 coloca Barcelona à beira da falência

Vive-se uma situação crítica em Barcelona. O clube catalão tem até à próxima quinta-feira para acertar uma redução de 190 milhões de euros na sua massa salarial, isto numa altura em que o clube é dirigido por uma comissão administrativa após a demissão da direção de Josep Bartomeu na semana passada. Caso não chegue a um acordo, o clube poderá declarar falência no mês de janeiro.

A rádio catalã RAC1 foi quem avançou a notícia, com o órgão de comunicação a referir que os advogados dos jogadores combinaram uma reunião com vista a chegarem a um acordo para uma redução geral nos salários dos futebolistas, algo que terá que acontecer no máximo até quinta-feira. Caso o acordo não seja alcançado, o clube corre sério risco de declarar falência em janeiro do próximo ano.

A saída de Bartomeu apaziguou as relações entre o clube e os jogadores, que estarão mais inclinados a acertar condições com o conselho administrativo. Logo após a demissão do ex-presidente, o CEO do emblema blaugrana, Carles Tusquets, expressou preocupação relativamente à situação de crise financeira que o Barça atravessa devido aos prejuízos causados pela pandemia da Covid-19, “A pandemia atingiu o Barcelona de forma particularmente forte, por isso o nosso foco são as finanças, pois o clube depende das receitas de bilheteira e essa está perdida”, alertou.

O Barcelona, atualmente imerso em graves problemas financeiros e diretivos, ocupa a 12ª posição na LaLiga ao fim de seis jogos, após apenas duas vitórias conquistadas nas partidas disputadas esta época. Encontra-se a nove pontos de distância da Real Sociedad, primeiro classificado, que tem ainda assim dois encontros a mais do que os culés.

Fonte da imagem de capa: Twitter @FCBNewsBR

Alexandre Dionisio

Desde pequeno fui levado ao mundo do futebol, inicialmente enquanto júnior no Ginásio Clube de Alcobaça, clube da minha cidade, e agora mais velho enquanto espetador assíduo do mágico desporto que tanto nos emociona. Com uma licenciatura em Ciências da Comunicação na bagagem e um mestrado em Jornalismo em curso, acompanho cada jogo com a máxima emoção. Que isso nunca mude.